Nana, nenê

Em cinco dicas, arquiteta mostra que é possível ter um quarto de bebê atemporal

Gabriela Pires projetou um dormitório funcional e delicado

Por: Nathália Carapeços
16/03/2017 - 10h00min | Atualizada em 16/03/2017 - 10h00min

Se há um cômodo da casa que sempre terá os dias contados é o quarto do bebê. Crianças crescem, novas necessidades surgem e o espaço precisa ser repensado. Por isso, a arquiteta Gabriela Pires abusou da criatividade e investiu em um dormitório infantil para uma família de Estância Velha definido em três palavras: funcional, atemporal e delicado.

– A cliente queria um quarto que pudesse sofrer transformações. Focamos na funcionalidade e mantivemos a delicadeza nos pequenos detalhes – explica a profissional à frente do escritório Gabriela Pires Arquitetura, com sede em Novo Hamburgo.

Leia mais:
Saiba como mesclar materiais e ideias para deixar sua casa elegante sem perder o design alto-astral
Aprenda a aplicar o preto na medida e sem pesar na decoração

A escolha de uma paleta de cores suave, da luz indireta e de um papel de parede discreto potencializa a relação aconchegante e íntima entre pais e bebê. Já os móveis em MDF e estrutura modular facilitam as mudanças futuras no espaço de 10 metros quadrados. Na decoração, outro recurso utilizado são os espelhos do armário, raros em projetos desse gênero.

– Foi um desejo da mãe. Tivemos o cuidado de fazer portas reforçadas, com perfil metálico, bem estruturada – justifica a arquiteta.

Foto: Vanessa Bohn / Divulgação

1 –ESPERA PARA A FUTURA CAMA
O berço está sobre uma plataforma de MDF com reforço estrutural de ferro que comporta uma cama auxiliar. Funcional, o móvel já prevê a transição do bebê para o novo espaço quando chegar a hora

2 – CLIMA ACONCHEGANTE
 Sem rebaixamento de gesso e com um pé-direito de 2m50cm, o quarto ganhou luzes indiretas por meio da marcenaria. Fitas de LED estão na estrutura do painel que leva o papel de parede

Foto: Vanessa Bohn / Divulgação

3 – PAREDES DISCRETAS
As paredes trazem um painel de MDF de 1m80cm de altura com o papel de parede em listras de tons suaves. A escolha de um revestimento mais discreto, sem desenhos infantis, foi feita justamente por ser atemporal

Foto: Vanessa Bohn / Divulgação

4 – TROCADOR MODULAR
O móvel trocador em módulos pode ser deslocado para se transformar em uma escrivaninha no futuro. Na parte de baixo, a estrutura vazada recebe caixas de brinquedos de fácil acesso à criança

Foto: Vanessa Bohn / Divulgação

5 – DE OLHO NA DURABILIDADE
Os móveis brancos foram feitos em MDF melamínico, mais resistente. Já os detalhes são com laqueado rosa, valorizando a cor e o brilho das peças

Leia outras notícias sobre Casa & Cia em ZH

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.