Educação

Manifestantes contrários a mudanças no ingresso por cotas ocupam reitoria da UFRGS

Conselho Universitário deve votar proposta nesta sexta-feira

Por: Zero Hora
22/09/2016 - 18h35min | Atualizada em 22/09/2016 - 20h09min
Manifestantes contrários a mudanças no ingresso por cotas ocupam reitoria da UFRGS Lauro Alves/Agencia RBS
Dezenas de jovens ocuparam saguão de entrada do prédio na Avenida Paulo Gama Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

Dezenas de jovens contrários à proposta que altera o ingresso de estudantes com direito a cotas na UFRGS ocuparam o térreo do prédio da reitoria da universidade, na Avenida Paulo Gama, bairro Farroupilha, em Porto Alegre, na tarde desta quinta-feira. Eles pretendem passar a noite no local e acompanhar a chegada dos integrantes do Conselho Universitário (Consun) na manhã desta sexta-feira, quando ocorre a reunião em que devem ser votadas as modificações. 

A proposta foi elaborada pela Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) e está estruturada em três pontos principais, sendo que o mais polêmico diz respeito à impossibilidade de vestibulandos disputarem as vagas destinadas à ampla concorrência e as reservadas a egressos de escola pública concomitantemente.

Leia também:
UFRGS é a quinta melhor universidade brasileira, aponta ranking da Folha
Atraso em repasses do Fies ameaça matrícula de 45 mil alunos no RS
Primeiro semestre teve 51% de vagas ofertadas a cotistas nas federais

Atualmente, quem cursou o Ensino Médio na rede pública pode concorrer pelo acesso universal (50% das vagas) e, se não for classificado, disputar entre os cotistas — em 2016, 419 estudantes ingressaram pelo acesso universal apesar de preencherem os pré-requisitos das ações afirmativas. Com a mudança, os candidatos terão de escolher apenas um dos grupos antes de realizar o vestibular.

Coordenadora-geral do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Kassiele Nascimento acredita que a proposta restringe o acesso de cotistas, argumentando que o mínimo de 50% (de egressos de escola pública) passaria a ser o máximo, e reclama da falta de debate do assunto com a comunidade acadêmica.

— Os conselheiros vão ser bem recepcionados para que se abra o diálogo aqui com a gente — diz.

— Já que eles não vão até a gente, nós vamos até eles — acrescenta Negralisi da Rosa, integrante do Grupo de Empoderamento das Negras e dos Negros Dandara.

No começo da semana, Vítor Neves da Fontoura, representante discente no Consun, afirmou a Zero Hora que a proposta vai ao encontro de uma "questão de isonomia". Ele ressaltou que a mudança principal será a adoção do mesmo modelo do Sisu: hoje há dois modelos para o ingresso e, se o texto for aprovado, haverá uma uniformização.

Por meio da assessoria de comunicação, no final da tarde desta quinta-feira, a UFRGS informou que não recebeu, dos manifestantes, um pedido formal para serem recebidos. A reunião do Consun ocorre a partir das 8h30min, e pode haver modificações na proposta, de acordo com a assessoria. 


 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.