Educação

Reforma no Ensino Médio pode trazer mudanças ao Enem

Uma das possibilidades é de que haja modelos diferentes para o exame nacional. Alterações não valerão para a prova deste ano 

22/09/2016 - 15h04min | Atualizada em 22/09/2016 - 15h04min
Reforma no Ensino Médio pode trazer mudanças ao Enem Mateus Bruxel/Agencia RBS
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

As mudanças propostas para reformulação do Ensino Médio podem trazer um novo modelo para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Com a intenção de flexibilizar a trajetória dos alunos, o Ministério da Educação (MEC) terá de pensar também em formas de avaliar as ênfases de formação. 

Leia mais:
Conselho Universitário vota mudança em ingresso por cotas na UFRGS 
Ensino Médio deve ter currículo flexível e carga horária maior

Uma das possibilidades é de que haja modelos diferentes de Enem, mais direcionados para o que os estudantes aprenderam nesta etapa de ensino. As possíveis mudanças não valerão para o Enem 2016.O governo quer aprovar a reforma do Ensino Médio até o final do ano. Nesta quinta-feira, o presidente Michel Temer deverá anunciar o texto que será enviado para a aprovação do Congresso Nacional. 

De acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), o texto final ainda não foi disponibilizado aos secretários estaduais, responsáveis por essa etapa de ensino, mas grande parte das sugestões dadas pelos gestores foi acatada. A intenção é que o Ensino Médio tenha, ao longo de três anos, metade da carga horária de conteúdo obrigatório, definido pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – ainda em discussão. O restante do tempo deve ser flexibilizado a partir dos interesses do próprio aluno e das especificidades de cada rede de ensino no Brasil.

Os alunos poderão escolher seguir algumas trajetórias: linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas – modelo usado também na divisão das provas do Enem. Os secretários propõe ainda a inclusão de um quinto eixo de formação: técnica e profissional.
– Essa formação vai possibilitar que o aluno passe no Enem? O Enem vai mudar por conta disso, com certeza – disse o diretor institucional do Consed, Antônio Neto.
– Inclusive, o Enem vai mudar a partir do momento que houver uma BNCC para o Ensino Médio, o Enem vai ter que seguir essa base – acrescentou.

A reforma ganhou destaque após a divulgação dos dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mede a qualidade do ensino no país. Pelo segundo ano consecutivo, a meta estabelecida para o Ensino Médio não foi cumprida e a etapa está estagnada desde 2011. 

Uma reforma da etapa está em tramitação na Câmara dos Deputados, por meio do Projeto de Lei (PL) 6480/2013, mas o ministro da Educação, Mendonça Filho, defende que, dada a urgência da questão, é necessário o envio de uma medida provisória. Atualmente, o ensino médio concentra 8 milhões de alunos. Os problemas identificados nessa etapa estão presentes tanto na rede pública quanto na privada. 

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.