Enem 2016

Plataformas e aplicativos ajudam na preparação para o Enem

Dispositivos no ambiente digital podem ser o diferencial na reta final de preparação para a prova, auxiliando na fixação de conteúdos e conceitos

Por: Rossana Silva - Especial
18/10/2016 - 06h15min | Atualizada em 18/10/2016 - 06h15min

De carona com a familiaridade dos alunos com a tecnologia, professores do Ensino Médio e de cursinhos têm incentivado os alunos a aproveitar o celular e o computador para além da comunicação. Sites especializados e aplicativos móveis são oportunidades para se preparar melhor para o Enem — e estão ao alcance de todos.

Capacidades exigidas na prova, como interdisciplinaridade, foco e habilidade para encontrar uma resposta entre múltiplas opções são exercitadas espontaneamente nos ambientes digitais. Se além disso, o aluno incluir em sua rotina a navegação em endereços desenvolvidos especialmente para as provas, aumenta a possibilidade de marcar a alternativa correta em novembro.

— O ambiente digital se tornou uma ferramenta essencial na preparação para o Enem. Às vezes, o aluno não sabe por que não entende um conceito, mas ele vê que essa resposta pode ser buscada por diferentes caminhos digitais — explica a professora da Faculdade de Educação da UFRGS Cíntia Inês Boll.

Leia mais:
Enem concentra prova de Humanas em temas sociais
Cartilha de Redação do Enem é divulgada
RS tem a sexta melhor média entre escolas participantes do Enem

A especialista aconselha que os candidatos explorem os benefícios da tecnologia móvel (no celular) e fixa (no computador) como complemento dos estudos em aula. Apps para o celular fazem conexão entre o que está dentro e fora da escola, otimizam a rotina de estudos e permitem que o aluno acesse o material ou responda perguntas relacionadas à prova a qualquer momento, aproveitando períodos ociosos como o trajeto de ônibus até a escola.Em frente à tela do computador, as possibilidades de aprendizagem incluem o acesso a hiperlinks que facilitam a compreensão de conteúdos que eventualmente não forem compreendidos na sala de aula, além de plataformas específicas para o Enem com videoaulas e simulados. Alguns ambientes oferecem interação com estudantes de todo o país, possibilitando ao aluno comparar seu desempenho com o dos colegas.

— O uso de ambientes digitais favorece o aprendizado por meio de variadas linguagens. E ainda promove um contraponto à linguagem verbal e escrita da escola, que às vezes é limitante para a compreensão de alguns conceitos — diz Cíntia.


Estratégia pedagógica

Para a professora da UFRGS, não são apenas os simulados e as videoaulas que ajudam na capacitação: ao seguir páginas como a da Organização das Nações Unidas (ONU) e realizar cursos massivos online gratuitos (conhecidos como Moocs e disponíveis em plataformas como o Coursera.com), o aluno se prepara de forma indireta, adquirindo conhecimento útil para responder ao Enem.

Apesar de a vasta oferta de conteúdos na rede dar ao estudante a sensação de autonomia no planejamento dos estudos, é importante que o uso da tecnologia seja orientada pelos professores, segundo explica o professor Augusto Niche Teixeira, gestor da área de Educação & Cultura do Unilasalle:

— O uso da tecnologia deve fazer parte de uma estratégia de intervenção pedagógica da escola. Os professores precisam auxiliar e intensificar as simulações e o contato dos alunos com o conhecimento por meio de plataformas lúdicas que falam a linguagem desta geração que vai prestar a prova do Enem, pois ela está familiarizada com esses dispositivos.

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.