Seleção

RBS prorroga até 9 de abril as inscrições para o Programa Trainee 2012

"Queremos profissionais que façam a diferença no resultado da empresa como um todo", destaca o vice-presidente de Gestão e Pessoas do Grupo RBS, Deli Matsuo

27/03/2012 | 20h05

A RBS prorrogou as inscrições para o seu Programa Trainee 2012. O prazo para se inscrever, que terminaria no dia 2 de abril, foi ampliado até o dia 9 de abril. Entusiasta do modelo de trainee para o desenvolvimento de talentos, o vice-presidente de Gestão e Pessoas do Grupo RBS, Deli Matsuo, destaca que o ingresso de profissionais por meio desse processo é, provavelmente, a melhor forma de se entrar em uma organização:

- A alta visibilidade no início da vida profissional somada ao perfil de jovem talentoso, empreendedor, dá para essa pessoa uma condição única de alavancagem na carreira - afirma Deli.

Acesse o site do Programa Trainee RBS 2012 e faça a sua inscrição

Em vídeo, confira os depoimentos de quem já foi trainee na RBS:



E você, quer se tornar um trainee do Grupo RBS? Confira as dicas de Deli sobre o processo de seleção e sobre como fazer escolhas para impulsionar a sua carreira:

Um programa de trainee é uma boa maneira de ingressar em uma empresa? Por quê? Qual a diferença entre entrar por esse meio ou pela forma convencional?

Deli Matsuo
- É provavelmente a melhor maneira de se ingressar numa empresa de grande porte. Porque o processo seletivo de trainee possibilita o acesso do candidato tanto ao primeiro nível da organização quanto à diretoria. A partir do momento em que ingressa na empresa, e pelos próximos três anos, o seu desenvolvimento e o seu aprendizado são monitorados pela diretoria da empresa. A gente conhece todos trainees pelo nome, que áreas passaram, quais projetos se engajaram, onde foram bem, onde podem melhorar. Essa alta visibilidade no início da vida profissional, somada ao perfil de jovem talentoso, empreendedor, dá para essa pessoa uma condição única de alavancagem na carreira.

O trainee precisa então ter firmeza durante o programa?

Deli
- A posição de trainee é assim, quanto maior a oportunidade e exposição, maior a responsabilidade e o compromisso. Quando ganha exposição ao primeiro nível da empresa, é preciso entregar um trabalho que surpreenda esse primeiro nível, em qualidade e compromisso. Tem de demonstrar por que foi um dos 10 melhores entre 20 mil candidatos.

O que conta na hora da seleção? O talento e capacidade avaliados nas provas ou a expectativa do potencial do candidato?

Deli
- O que realmente faz diferença para os candidatos é a habilidade cognitiva, a capacidade aprendizado de novos conceitos, de transformação da teoria em prática, de resolução de problemas, de pensamento estruturado, aprender a priorizar e como resolver os problemas de forma estruturada. Principalmente, o que faz a diferença entre os candidatos A e B, sendo ambos inteligentes, é habilidade de relacionamento interpessoal. Como ele transforma todo esse poder mental em ação que construa valor no processo, como desenvolve as pessoas, sua atitude de ousadia, de inovação, de olhar com uma mente crítica e não conformista.



Deli: "Essa alta visibilidade no início da vida profissional, somada ao perfil de jovem talentoso, empreendedor, dá para essa pessoa uma condição única de alavancagem na carreira"
Foto: Marcelo Kahn / Divulgação


E isso já se percebe na seleção?

Deli
- Já, porque é da natureza do indivíduo. Você percebe que o indivíduo tem interesse em contribuir para a sociedade, em prol de um grupo, que não olha só para a sua necessidade individual.

Que tipo de investimento a RBS faz no trainee?

Deli
- A RBS tem um programa de três anos que cobre uma grande variedade de programas de desenvolvimento, desde o investimento na formação acadêmica, operacional, como colocar o trainee para fazer trabalho de verdade, com responsabilidade de projetos, que têm de ser entregues para a diretoria. Esse trainee tem um aprendizado prático muito forte, roda as diversas unidades do grupo, e isso envolve viagem, participação em diversos eventos e seminários. Além disso, um grupo de pessoas trabalha focado no desenvolvimento de trainees, entendendo a necessidade de cada um para atingir o máximo do seu potencial no menor espaço de tempo possível. Um consultor atende um trainee, entende como ele pode maximizar seu potencial e desenha um programa específico para cada um. Por isso, o grupo é tão seleto e se faz um investimento tão pesado. Para se fazer um projeto tão customizado e tão impactante é preciso fazer em pequena escala.

Qual deve ser o foco do trainee no programa? Quais são as dicas que podes dar a eles?

Deli
- Recomendo duas linhas de pensamento de aprendizado. Uma é aproveitar ao máximo a oportunidade prática, oportunidade de trabalhar com mão na massa na sua unidade de negócio, entender todos os fatores que envolvem um projeto de sucesso, entender como se constroi um projeto de sucesso, aprender na prática a execução do trabalho que ele vai ter na frente. O segundo é absorver rapidamente princípios de liderança e gestão de pessoas. Porque ele precisa aprender o mais rapidamente possível como pode maximizar o impacto dele na organização por meio das pessoas. O trainee não tem só o objetivo de fazer o trabalho. Ele tem o objetivo de também, em três anos, fazer o trabalho por meio das pessoas, levar o conceito de excelência dele a ser multiplicado pela gestão. Tem duas coisas para aprender a fazer. Uma é o trabalho de verdade e a outra é fazer trabalho através das pessoas: isso eleva o nível de performance das pessoas com as quais ele coopera ou das que lidera.

O programa da RBS permite qualquer formação, não só para aqueles ligados à área de comunicação. Por quê? Qual é o objetivo disso?

Deli
- Primeiro pela diversidade de perfil, para trazer gente com visões diferentes para dentro da organização para fomentar a inovação. A massificação das pessoas tende a gerar um desvio na linha de construção de valores. Quando você traz múltiplos perfis, você aumenta a diversidade de pensamento e a inovação como resultado final do processo produtivo. A diversidade alimenta a inovação em todos os sentidos.

Qual a diferença entre o programa de trainees da RBS e os demais?

Deli
- Posso dizer que o programa da RBS tem 20 anos de existência, é extremamente consolidado. A liderança do Grupo RBS hoje existe pela criação do programa. Os principais líderes da RBS são oriundos do programa, que continuamente se renova com objetivo de aumentar ainda mais a capacidade de desenvolvimento das pessoas. Ao longo desses 20 anos, a RBS aprendeu a fazer um programa que produz o melhor resultado para o desenvolvimento das pessoas e vem aprimorando esta receita. É uma grande diferença e uma qualidade muito forte do programa. Além disso, o Grupo RBS valoriza profundamente o Programa Trainee, é fundamental na estratégia de crescimento da organização. Esse é um valor que já está implementado. Os trainees são procurados para contribuir em programas de inovação. É um aprendizado prático e real, não é de academia.

Se o interessado está trabalhando em outra empresa, mas tem interesse em ser trainee da RBS, deve tentar? Não será preterido por já ter experiência profissional?

Deli
- Não será preterido. Desde que cumpra os pré-requisitos do programa, não importa estar trabalhando, vai ter a mesma chance de qualquer outra pessoa. Neste programa, não queremos olhar a experiência profissional, a gente descarta essa informação, porque nosso interesse é no potencial do indivíduo e como podemos maximizar esse potencial, tendo ele experiência profissional ou não. O mais relevante é quem ele é e o tamanho de seu potencial.

Por que a RBS ampliou o tempo de formado para participar do programa?

Deli
- O Programa de Trainees do Grupo RBS deve privilegiar pessoas no início de carreira, mas não vemos razão para excluir potenciais candidatos que se formaram há mais tempo. O que importa não é a quantidade de experiência profissional, é o potencial que essa pessoa tem, esse vai ser o fator determinante, o potencial.

Qual a importância de um profissional conhecer todas as áreas da empresa?

Deli - O trainee é preparado ao longo de três anos para assumir áreas dentro da organização e no futuro ser um líder da organização. Conhecer várias áreas da empresa permite a esse trainee um entendimento mais profundo da interação entre as áreas e facilita a gestão que vai fazer sobre uma determinada área. Ao passar por várias áreas, ele ganha um conhecimento supervalioso ao longo da carreira e que, de outra forma, provavelmente não teria oportunidade de obter, pois as pessoas tendem a fazer carreira numa área só, até por questão de foco. No Programa Trainee, o profissional conhece várias áreas, ganha conhecimento que não poderia replicar de forma tradicional e adquire um conhecimento muito mais profundo sobre as outras áreas e como elas operam.

Qual é o perfil dos profissionais que as empresas estão competindo para contratar?

Deli
- Queremos profissionais que façam a diferença no resultado da empresa como um todo e, especificamente do nível de gestão, pessoas que construam valor no âmbito de trabalho, na satisfação e no engajamento dos funcionários. No âmbito técnico prático, a pessoa conhece a operação, tem capacidade crítica, tem capacidade de absorção de novos conceitos e pode transformar isso em novo valor. Basicamente, as pessoas e os talentos que a gente procura têm de ter esses dois componentes: serem extraordinários no trabalho que executam e na gestão. Quando você é um bom líder de pessoas, você multiplica esse poder em sua equipe e agrega muito, além de ser um bom executor.

O que o profissional deve fazer por si para a gestão de carreira e não esperar pela empresa?

Deli
- Ele precisa entender o que faz dele um indivíduo feliz e trabalhar para poder construir isso. É o que vai fazer a diferença na carreira dele. Se gerir isso com pró-atividade, seguramente conseguirá criar um plano de carreira que atenderá esse objetivo pessoal. Na medida em que se está feliz, a produtividade é maior no trabalho. O profissional feliz consegue alavancar perfomance e carreira. Também é preciso entender as áreas em que se pode ser extraordinário, ter foco nisso e trabalhar suas fortalezas.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.