Empregabilidade

Especialistas ensinam como continuar competitivo no mercado de trabalho

São as habilidades técnicas, éticas e comportamentais que fazem a diferença

Por: Maria Amélia Vargas
22/02/2014 - 12h01min
Especialistas ensinam como continuar competitivo no mercado de trabalho Lauro Alves/Agencia RBS
O gestor de TI Luciano Martins está sempre atento à movimentação de seu segmento Foto: Lauro Alves / Agencia RBS  

Manter-se atrativo aos olhos do mercado de trabalho exige muito mais do que simplesmente reunir conhecimentos técnicos e estar em constante atualização. Para garantir um nível alto de empregabilidade atualmente, o profissional precisa somar qualidades emocionais e éticas aos pré-requisitos básicos, seja qual for a atividade exercida. Capacidade de enfrentar adversidades, de lidar com as pressões, de assumir responsabilidades e de se relacionar com os outros são algumas das habilidades incorporadas ao longo dos anos às chamadas competências essenciais.

Ficar atento à movimentação em sua área de atuação também auxilia nesse processo, indica Ricardo Haag, gerente-executivo da empresa de recrutamento de executivos Page Personnel. Para o especialista, é importante se informar sobre os postos abertas no seu segmento mesmo quando não se está em busca de trocar de emprego.

— Vale a pena procurar nos classificados dos jornais ou nos sites das empresas e das agências de recrutamento para saber das vagas abertas e qual é o perfil desejado pelo mercado. Assim, pode ter uma ideia se ainda está competitivo e quais habilidades e experiências ainda precisa adquirir — destaca Haag.

Conhecer outras frentes, não se fechar às possibilidades e transitar por caminhos que possam tornar o currículo mais atrativo geram impactos positivos à carreira. Segundo a coach Ticiana Tucci, sócia da Questão de Coaching, em tempos de rápidas mudanças e avanços tecnológicos todo conhecimento é bem-vindo.

— Viagens, passeios, interesses por outras culturas sempre acrescentam e podem ajudá-lo a fazer novos contatos. Ter um bom networking facilita a ampliação das oportunidades. Para isso, vale também frequentar eventos e cursos, além de manter um bom contato com profissionais que tenham interesses comuns aos seus também por meio das redes sociais — sugere Ticiana.

Aos que têm dúvidas sobre o seu potencial competitivo, Cristina Berenguer Dantas, diretora da Sociedade Brasileira de Desenvolvimento Comportamental (SBDC), ensina:

— Antes de tudo, o profissional precisa ter claros três itens importantes para sua carreira: como é visto pelo mercado, como trabalha sob pressão e quem realmente é.

A partir dessas respostas, Luciano Martins, gestor de TI da MAC Engenharia, pôde trabalhar seus pontos altos e corrigir os pontos fracos para alinhá-los ao que o mercado busca. O segredo do sucesso, segundo o administrador, foi ter traçado um plano de carreira desde cedo.

— Procurei me direcionar para a área que queria trabalhar e segui firme nos meus propósitos. Assim, formei uma rede de relacionamentos muito boa e todas as mudanças que fiz partiram de convites. Para isso, busco estar sempre antenado ao que acontece, saber quem está empregado, quem mudou de empresa, enfim, de tudo que está acontecendo na minha área — completa Martins.

 

Permaneça atrativo

> Questione-se, periodicamente, sobre três aspectos importantes: "como você é visto pelo mercado", "como trabalha sob pressão" e "quem você é".

> Estime o quanto a sua bagagem pessoal e profissional é interessante para o mercado. Que razões uma empresa teria para contratá-lo?

> Saiba o quanto a sua história de vida contribui para tornar seu currículo atrativo.

> Avalie quais são os seus diferenciais comparado a outros profissionais com uma formação e trajetória parecidas com a sua.

> Reciclagem acadêmica: esteja sempre atualizado nos conhecimentos técnicos essenciais para atividade que exerce.

> As ferramentas e os processos mudam muito rápido nas empresas. Portanto, se atualize sobre as novas tecnologias.

> Conheça a fundo o segmento no qual está inserido.

> Informe-se sobre a movimentação no mercado de trabalho em sua área de atuação: quem mudou de empresa, quem foi contratado, quem trocou de área?

> Procure nos classificados dos jornais ou nos sites das empresas e em agências de recrutamento sobre as vagas abertas e o perfil desejado pelo mercado.

> Ter um plano de carreira estabelecido ajuda a não perder o foco.

> Seja flexível. Esteja aberto a novas oportunidades, mesmo que você não esteja pensando em mudar de emprego no momento.

> Alimente seu networking e mantenha contato com as pessoas envolvidas diretamente e indiretamente na sua atividade.

> Frequente eventos específicos, como congressos, feiras, seminários e workshops. Além do conhecimento adquirido, você poderá fazer bons contatos nessas ocasiões.

> Faça contato com pessoas que estejam em cargo semelhante ao seu em empresas do mesmo setor ou porte.

> Tenha o perfil no LinkedIn atualizado. Divulgue suas conquistas, mas cuide para não deixar escapar informações confidenciais da empresa.

> Cuidado com o que postar nas redes sociais: as informações são públicas e tudo que publicar revelará um pouco sobre quem você é (e os empregadores estão de olho).

> Peça e ofereça feedbacks. Busque sempre refletir sobre as críticas, intensificando seus pontos fortes e corrigindo os pontos fracos.

> Fluência em, pelo menos, inglês é essencial para qualquer carreira. Saber outros idiomas aumenta significativamente o potencial de empregabilidade.

Fontes: Ricardo Haag, gerente-executivo da Page Personnel; Ticiana Tucci, sócia da Questão de Coaching; e Cristina Berenguer Dantas, diretora da Sociedade Brasileira de Desenvolvimento Comportamental (SBDC)

 

Conheça seus pontos fortes e fracos

De acordo com a ferramenta de coach DISC, da People Keys, há quatro dimensões do comportamento: D (estilo dominante), I (estilo influente), S (estilo constante) e C (estilo consciente). Veja com qual perfil você se encaixa e como aumentar a sua empregabilidade:

Estilo D

— Gosta de se arriscar

— Possui autoestima alta

— É competitivo

Dica: cuidado ao tomar decisões. Procure sempre entrar em um consenso e ouvir a opinião dos outros.

Estilo I

— É um ótimo comunicador

— Trabalha bem em equipe

— Age espontaneamente, sem se preocupar com o tempo

Dica: seja também um bom ouvinte: é importante se concentrar para ouvir bem os outros. Faça uma melhor gestão do tempo.

Estilo S

— É reservado

— Tem dificuldade de tomar decisões

— Adora ajudar aos outros

Dica: não deixe com que os outros se aproveitem de você: ajude com limites. É preciso assumir riscos para alcançar melhores resultados.

Estilo C

— É perfeccionista

— Trabalha de forma estruturada e organizada

— Gosta de trabalhar individualmente

Dica: seja mais colaborativo. Pratique a flexibilidade e lembre que é importante aceitar a diferença dos outros para o seu próprio crescimento.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.