Trabalho

Como a leitura ajuda a impulsionar a carreira

O hábito de ler ajuda a melhorar a colocação no mercado de trabalho e contribui para o desenvolvimento profissional

Por: Maria Amélia Vargas e Milena Lumini
27/04/2014 - 05h01min
Como a leitura ajuda a impulsionar a carreira Guto Kuerten/Agencia RBS
Ítalo de Oliveira Mendonça se inspirou em obras de ficção para incrementar o seu negócio Foto: Guto Kuerten / Agencia RBS  

Manuais e livros técnicos auxiliam o profissional a se manter atualizado em sua área de atuação. Para se sobressair, no entanto, é preciso ir além dos conhecimentos específicos. Habilidades comportamentais — como criatividade, capacidade de relacionamento, bom português e eloquência —, essenciais a quem quer continuar atrativo ao mercado de trabalho, podem ser adquiridas de uma maneira simples e democrática: por meio da leitura.

Esse hábito, contudo, vem sendo negligenciado por estudantes brasileiros. A última pesquisa do Instituto Pró Livro mostrou que, entre 2007 e 2011, o número de obras lidas pelos universitários ao ano caiu de 8,3 para 7,7. Aos (ainda) não simpatizantes das letras, a receita é dada por Marcus Ronsoni, CEO da Sociedade Brasileira de Desenvolvimento Comportamental.

— A qualquer momento se pode adquirir o hábito de ler, mas não dá para enxergá-lo como uma obrigação. Eu sugiro que a pessoa inicie por títulos mais populares, com conteúdos de seu interesse e de mais fácil absorção. O caminho natural será o de que comece a tomar gosto e buscar obras mais complexas — indica Ronsoni, que sugere ainda a variação nos assuntos escolhidos e estender o hábito da leitura a jornais, revistas e artigos.

Na avaliação de Carlos Aldan, CEO do Grupo Kronberg, estar muito bem informado, hoje em dia, "não se trata de uma escolha, é uma obrigação". O especialista em Inteligência Emocional, porém, adverte que o interesse pelos livros só ocorre por meio do prazer.

- O indivíduo adulto precisa encontrar um propósito para fazer alguma coisa. A primeira pergunta é por que eu tenho que me atualizar? Porque estamos na era do conhecimento, em que tudo circula de forma mais rápida e as empresas precisam rever os seus negócios a cada oito horas. Então, aquele que não buscar a informação corre o risco de se tornar obsoleto — destaca Aldan.

O coordenador do curso de Administração da Faculdade Estácio de Sá, Sérgio Luiz Curti, costuma ampliar o leque de possibilidades de leitura de seus alunos e sugere sites interessantes e clássicos como A Arte da Guerra para aguçar o interesse dos jovens.

Segundo o professor, a consequência de não ler é um vocabulário mais pobre e dificuldade em expressar-se na norma culta da língua.

— Consigo identificar no dia a dia o aluno que lê. É fácil distinguir aquele que conhece a língua portuguesa — comenta Curti.

Os livros e artigos sobre novos negócios foram a alternativa para o designer gráfico Ítalo de Oliveira Mendonça, 27 anos, adquirir conhecimentos para iniciar a startup Mooral, especializada em oferecer currículos online e facilitar a contratação de promotores de eventos.

Incentivado a ler desde pequeno, Mendonça consulta livros de webdesign e ferramentas digitais e busca inspiração em famosas obras de aventura como a saga Senhor do Anéis e a série Game of Thrones (A Guerra dos Tronos).

— Como design é uma área mais criativa, também procuro referências em graphic novels (um tipo de história em quadrinhos). Com isso acabo misturando lazer e trabalho — comenta.

Além da leitura, Mendonça revela que também valoriza hábitos que estimulam a criatividade e o tornam um profissional mais interessante, como ouvir música e ir ao cinema. Outros profissionais optam ainda por jogos.

Como os livros podem contribuir no trabalho

> Vocabulário: pesquisas científicas provam que pessoas que leem mais possuem um vocabulário mais rico, além de terem melhores habilidades verbais, como fala e escrita.

> Escrita: o fato de ler mais faz com que a pessoa saiba como utilizar as palavras e consiga ser melhor compreendido.

> Aprendizado: independentemente do assunto, um livro sempre será a melhor maneira de entender sobre qualquer coisa.

> Capacidade de análise: ler melhora a capacidade de analisar, resolver problemas e contornar obstáculos da vida real.

> Benefícios cerebrais: a leitura é benéfica para o cérebro, desenvolve a concentração, o foco seletivo e a imaginação.

> Objetivos: ler pode ajudar a atingir metas, porque a leitura pode inspirar as pessoas. Ler sobre histórias de sucesso é motivador.

> Humanização: muitos livros têm o poder de humanizar os seus leitores e desenvolver a sua empatia.

> Outros mundos: tanto literalmente quanto metaforicamente, o livro pode levar o leitor onde a sua imaginação permitir e também descrever localidades de diversos países.

> Pontos de vista: o livro pode colocar o leitor na pele dos personagens. Dessa forma, desenvolve a habilidade de ver diferentes perspectivas.

> Esclarecimento: pessoas que leem mais adquirem ideias mais críticas.

> Criatividade: ler diferentes histórias potencializa a imaginação e cria ferramentas para novas ideias.

> Conteúdo: a leitura traz conteúdo útil para as conversas.

> Custo x benefício: livro é uma forma barata e proveitosa de entretenimento. Ir à biblioteca, por exemplo, é de graça.

Fonte: Universia Brasil

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.