Morando junto

Compartilhar moradia é opção para quem precisa dividir despesas

Quando pagar aluguel se torna inviável, procurar pessoas interessadas nessa opção de morar é uma saída, mas exige certos cuidados

12/04/2017 - 09h00min | Atualizada em 12/04/2017 - 10h09min
Compartilhar moradia é opção para quem precisa dividir despesas Carlos Macedo/Agencia RBS
Cálcule as despesas e veja a melhor maneira de dividí-las na hora de optar por negociar com o futuro morador Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS  

Claudia Chiquitelli
Especial

As despesas com moradia representam a maior parte dos gastos dos brasileiros. E não é à toa, já que são muitas questões relacionadas ao imóvel que precisam de atenção: aluguel, prestação do financiamento, taxa de condomínio, IPTU, além dos valores de seguros-fiança para quem está sozinho e não tem um fiador, que podem custar até três meses de aluguel e devem ser pagos adiantadamente.

E não para por aí: ainda é preciso considerar os custos de energia, água, limpeza e manutenção do imóvel, por exemplo. Pensando em tudo isso, não fica difícil entender porque se torna inviável para muitas pessoas morarem sozinhas em grandes centros. Por isso, é cada vez mais comum a ideia de dividir as despesas com um "estranho".

Leia mais:
Seis erros dos empreendedores na crise
O que você precisa para ser um freelancer de sucesso?
Home office é uma opção de trabalho crescente no país

Se quem paga aluguel, por exemplo, já fez essa conta e está considerando partir para essa opção, para começar, é importante conversar com familiares, amigos e colegas para saber se conhecem alguém interessado em dividir moradia. Essa é uma das maneiras mais seguras, já que a pessoa que compartilhará o local chegará com referências.

Mas também existem vários sites especializados e redes sociais para ajudar a encontrar alguém com quem dividir apartamento. Confira alguma dicas do caderno Teu Emprego e da plataforma imobiliária VivaReal para encontrar um bom colega de moradia!

Como funcionam os sites para dividir apartamento

O objetivo desses sites é promover o encontro de quem tem um quarto vago e quer preenchê-lo com quem procura um lugar para ficar. Na maioria dele, o interessado preenche um cadastro com suas características, como se estuda, trabalha, fuma, tem filhos ou animais de estimação, qual é o nível de organização e se prefere sossego ou agito. Também é possível, na maioria dos casos, importar informações diretamente da sua conta do Facebook.

Sites direcionados para esse tipo de moradia exibem detalhes do local e questionam hábitos dos futuros moradores Foto: Carlos Edler / Agencia RBS

O perfil de quem busca pessoas para dividir despesas é diversificado — é possível encontrar desde estudantes que acabaram de entrar na faculdade e estão se mudando para fazer o curso até pessoas que mudaram de cidade a trabalho e ainda não se situaram no local ou jovens que estão saindo da casa dos pais.

Normalmente, os anúncios incluem fotos e especificações dos imóveis, como número de banheiros, e quartos, além de informarem sobre a presença ou ausência de facilidades como internet, TV a cabo e faxineira. Os gastos também costumam ser compartilhados entre os moradores e informados nos anúncios, o que torna ainda mais vantajoso dividir uma moradia.

Também é comum que colegas de apartamento com interesses parecidos e maior nível de afinidade dividam até mesmo gastos mais pessoais, como compras no mercado e até investimentos para o imóvel, dependendo do que for combinado. Nessa procura também é importante primeiramente buscar referências e pesquisar sobre o local.

Como dividir uma moradia com tranquilidade

1. Cadastre-se nos sites

Para começar a busca, a procura deve ser em sites que conectam pessoas interessadas em dividir um apartamento. Assim, o interessado precisa verificar com qual moradia se identifica mais, ou qual apresenta as opções que mais prefere. É importante também ter referências de sites. Então, converse com familiares, amigos e colegas para saber qual o mais indicado. Estes são alguns sites em que você pode começar sua busca:

Webquarto
No site, o interessado pode se cadastrar ou oferecer um espaço de moradia. Para encontrar um lugar, basta colocar o nome da cidade. Em Porto Alegre, há dezenas de opções de moradias com fotos.

Dividir apê
Neste site, o interessado precisa enviar mensagem, dizendo o que procura ou oferece.

Moovein
Quem busca moradia para dividir, deve se cadastrar neste site preenchendo um breve questionário, que inclui hábitos. A escolha deve ser feita para quem procura um lugar ou se está disponibilizando um local. Os anúncios têm descrição e fotos dos cômodos disponíveis. Há uma versão gratuita e uma versão paga, que habilita algumas funcionalidades a mais.

Easyquarto
No cadastro do site há duas opções: "Procuro quarto" ou "Tenho quarto". O interessado deve selecionar a sua situação e continuar preenchendo as perguntas do site. Há filtros para facilitar sua busca, como qual a idade do companheiro de "apê" que procura, se busca homem ou mulher, estudante ou profissional. A maioria dos anúncios é para as chamadas repúblicas (moradias estudantis). Na versão gratuita, os usuários precisam esperar sete dias para seu anúncio se tornar público.

DadaRoom
O site faz o "match" da seguinte maneira: por meio do cadastro e das características encontradas no Facebook, o site faz sugestões de possíveis pessoas interessadas em dividir apartamento relacionando estilos de vida parecidos, com base em informações como amigos em comum e likes em comum. Porém, o site não contempla Porto Alegre, mas cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Curitiba e Belo Horizonte e mais. O Dada também funciona em outros cinco países da América Latina e já contabiliza mais de 200 mil usuários.

Grupos no Facebook
Há também grupos abertos e fechados no Facebook. Alguns contam com mais de 10 mil membros e são atualizados diariamente, com novas ofertas e buscas por roomates. Como lá o interessado usará seu próprio perfil dessa rede, só é necessária a aprovação da entrada no grupo, que pode ocorrer por meio de um convite de um amigo ou solicitando ao moderador.

2. Defina seu orçamento

Apesar de baratear os custos, dividir um local para morar não fará milagres para o orçamento. Quem vai buscar compartilhamento, deve ter em mente que outras pessoas dependerão dele para pagar as contas. Por isso, o interessado deve evitar locais que passam do limite financeiro. O cálculo deve priorizar o quanto pode gastar com moradia e não esquecer de incluir as contas de água, luz e internet.

3. Proteja-se

Quem compartilha imóvel, vai estar lidando com pessoas desconhecidas, então todo cuidado é pouco: devem ser feitos contratos e pedido de garantias. Caso for alugar um quarto, o locatário pode pedir um aluguel de adiantamento, ou fazer algum contrato com cláusulas para prevenir sustos. Caso esteja alugando de alguém, é importante conversar com inquilinos anteriores e deixar claro o termo de locação.

Além disso, precisam ser avaliados os aspectos do imóvel e combinado todos os itens que serão rateados. Decidir se as partes vão dividir as responsabilidades de manutenção de móveis e reparos do apartamento, por exemplo, evita desentendimentos futuros.

4. Atente-se a detalhes

Na hora de definir o seu local, alguns detalhes devem ser verificados. O imóvel tem garagem? É mobiliado? Caso não seja, os móveis que serão colocados no local cabem ou conseguem passar pelas portas? Se tiver animais de estimação, é necessário ver ser há restrições também.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.