Pelas redes

Notícia de que governo da Islândia pagaria para estrangeiros se casarem com mulheres do país é falsa

Boato que circulou em redes sociais nos últimos meses fez com que homens ao redor do mundo buscassem contato com islandesas pela internet 

18/09/2016 - 19h42min | Atualizada em 18/09/2016 - 20h00min

Um suposto comunicado do governo islandês tem incomodado milhares de mulheres do país, que nas últimas semanas relataram ter recebido uma enxurrada de convites em redes sociais para conhecer homens de várias partes do mundo. 

O anúncio, que circulou em diversos sites e redes sociais desde junho, dizia que o governo estaria colocando em prática um programa de estímulo ao crescimento populacional do país, oferecendo valores em dinheiro que poderiam chegar a US$ 5 mil por mês a imigrantes com interesse de se casarem com uma cidadã islandesa.

Leia as últimas notícias de ZH

A explicação seria que a quantidade de homens é inferior a de mulheres no país. Em pouco dias, entretanto, a notícia foi desmentida. Segundo uma matéria publicada no início de julho pelo site de notícias islandês Gravine, o governo não teria nenhum motivo para projetos voltados ao seu crescimento populacional nesse momento. 

Conforme dados governamentais mostrados na reportagem, o país nórdico apresenta inclusive uma quantidade maior de homens do que de mulheres, com 1.007 homens para cada 1.000 mulheres dentro da realidade demográfica geral do país, com algumas exceções como na região da capital de Reykjavík, onde há 985 homens para cada 1.000 mulheres.

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.