Polêmica

Marca de roupa brasileira cria blusa com estampa de escravos e causa revolta

Consumidora do Rio de Janeiro ficou chocada com a imagem e fez desabafo no Facebook

14/10/2016 - 15h09min | Atualizada em 14/10/2016 - 15h28min
Marca de roupa brasileira cria blusa com estampa de escravos e causa revolta Reprodução/
Foto: Reprodução

A marca de roupas Maria Filó se envolveu em uma polêmica ao comercializar uma blusa com desenhos de escravas negras servindo mulheres brancas. Estampa que retrata a escravidão está causando constrangimento entre os consumidores nas lojas e bastante revolta na internet.

A polêmica veio à tona com a postagem de Tâmara Isaac, de 29 anos, do Rio de Janeiro, que decidiu se manifestar após se deparar com a imagem durante uma visita à loja de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Leia mais
Confira os sapatos com a pegada da primavera
Claudia Leitte se assanha para candidato no "The Voice Brasil" e leva fora


Tâmara Isaac ficou chocada com a estampa e escreveu um texto no Facebook, nesta quinta-feira, para desabafar:

"Hoje, fui procurar umas blusinhas bacanas para comprar e entrei na loja da Maria Filó. Entrei e ninguém me me cumprimentou ou falou qualquer coisa comigo, minutos depois, entrou uma mulher branca, prontamente recebida com um: "Boa tarde! Se precisar de algo é só falar". Até aí, nenhuma novidade, só mais um dia normal na vida de um negro. Começo a olhar as roupas e me pergunto: Confere? É uma estampa de escravas entre palmeiras. É uma escrava com um filho nas costas servindo uma branca? Perguntei à vendedora se aquela estampa tinha alguma razão de ser ou se era só uma estampa racista mesmo. Ela, me dirigindo à palavra pela primeira vez, não soube responder. Entrei no site da marca, com a esperança de que houvesse algum sentido naquilo, mas só encontrei uma marca que não satisfeita em representar somente mulheres brancas achou que esse Toile de Jouy de escravas seria de muito bom gosto."

A estampa é parte da coleção Pindorama — nome pelo qual alguns povos indígenas se referiam ao Brasil.

No site da loja, a blusa está sendo vendida pelo valor de R$ 239.

Foto: Reprodução

Tentando conter a crise, a marca passou a responder a todos os comentários pedindo desculpas pela estampa. Explicam que a intenção da coleção era homenagear o pintor Jean-Baptiste Debret, que visitou o Brasil no século XIX, junto com a Missão Artística Francesa.

"Gostaríamos de fazer um esclarecimento. A estampa em questão buscou inspiração na obra de Debret. Em nenhum momento tivemos a intenção de ofender. Pedimos sinceras desculpas e informamos que já estamos tomando as devidas providências para que a estampa seja retirada das lojas", diz a resposta padrão da Maria Filó.


Nas redes sociais, a maioria dos comentários são de revolta com a coleção:

Leia outras notícias



 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.