Dinheiro

Pense duas vezes antes de parcelar o presente do Dia das Crianças

Lembre-se de que Natal e os impostos de início de ano estão logo aí

08/10/2016 - 08h11min | Atualizada em 09/10/2016 - 20h08min
Pense duas vezes antes de parcelar o presente do Dia das Crianças Maykon Lammerhirt/Agencia RBS
Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS

O Dia das Crianças vem aí e muitos pais estão preocupados com a compra dos presentes. Os pequenos querem mimos, e os pais, claro, também desejam dar o melhor para os filhos, mas, em época de crise financeira, é importante pensar no bolso antes de sair por aí passando o cartão de crédito nas lojas de brinquedos. 

Educador financeiro e professor de Economia, Adriano Severo defende que é melhor dar um presentinho mais barato do que ficar com uma dívida de 12 parcelas a pagar. Até para garantir o sono tranquilo quando chegam as faturas do cartão. Veja as dicas do especialista. 

Leia outras notícias

Diário Gaúcho – Dia das Crianças é um bom momento para falar sobre educação financeira com os filhos?
Adriano Severo – 
Os pais podem aproveitar para estipular um valor para o presente e levar as crianças na compra. Elas têm que ter noção do dinheiro, e o tema educação financeira já deve ser tratado em casa. Estipule um valor e vá mostrando para a criança o que dá para comprar com aquilo. Assim, elas vão entendendo o valor do dinheiro. Mas se a criança for muito novinha, não vai funcionar. Melhor ir às compras sem ela, neste caso.

Leia mais
Receita abre nesta sexta consulta ao quinto lote de restituição do Imposto de Renda 2016: veja como saber se você foi contemplado
5 lugares para comer com menos de R$ 15 no Centro de Porto Alegre

Diário – Ainda é importante lembrar que faltam pouco mais de dois meses para o Natal e, na sequência, os impostos do novo ano.
Adriano – 
São diversos gastos logo na virada do ano. Natal tem amigo-secreto no trabalho, na turma do esporte, na família... Acaba gerando gasto também com a janta para a entrega do presente. Se for parcelar o presente do Dia das Crianças, que não seja mais do que duas vezes, para não entrar no próximo ano cheio de dívidas. 

Adriano defende um teto máximo no valor do presente Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Diário – Tem como garantir a alegria da criançada sem causar tristeza para o bolso?
Adriano – 
Para isso, o importante é definir o teto, o limite para gastar. E não fugir disso! Não se esqueça do IPVA, do IPTU, das matrículas, dos presentes de Natal!


 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.