O adiantado da hora

Quando a hora a menos na virada para o horário de verão faz diferença

Passageiros de ônibus intermunicipais e comerciantes que trabalham de madrugada estão entre aqueles que sentem a perda da hora, que neste ano acontece em 16 de outubro. Hora será recuperada em 19 de fevereiro

Por: Guilherme Justino
13/10/2016 - 18h37min | Atualizada em 13/10/2016 - 19h19min
Quando a hora a menos na virada para o horário de verão faz diferença Ilustração de Gilmar Fraga/Agência RBS
Foto: Ilustração de Gilmar Fraga / Agência RBS

A maioria das pessoas talvez esteja dormindo e nem perceba a hora passar. Mas tem quem sinta na pele — ou, pelo menos, no bolso — cada um dos 60 minutos que se perde no dia em que entra em vigor o horário de verão, que neste ano começa no próximo domingo, quando será preciso adiantar os relógios em uma hora. 

Antes dos efeitos de dias que terminam mais tarde e noites que demoram a chegar serem sentidos (e saudados por muitos; lamentados por outros tantos), a "hora da virada" também faz suas vítimas. Quando o intervalo entre 0h e 0h59min é subtraído do dia, quem trabalha ou depende de serviços nesse período acaba sendo afetado.

Leia mais:
Adaptação ao horário de verão leva até sete dias, afirma médico
Entenda os efeitos do horário de verão, que completou 30 anos em 2015

É o caso de quem passa pela Rodoviária de Porto Alegre, chegando ou partindo em plena troca de horário. Trabalhando há 40 anos no Ki-Lanches, um dos bares que ficam abertos 24 horas no local, Simeão Machado da Silva já viu muita gente perdida. Ou porque não sabia em qual dos horários o ônibus marcado para a meia-noite sairia, ou porque tinha acordado pensando que ainda estava em vigor o horário antigo e perdido a viagem.

— O bom dessa troca de horário é que fica bem no meio do fim de semana, então não atrapalha tanto. O fluxo é menor. Mas sempre tem quem acabe dormindo demais ou se perdendo nas contas — destaca Machado.

Há 11 anos trabalhando na Rodoviária da Capital, Rosângela Christofani vê as dúvidas de quem tem viagem marcada aumentarem quando se aproxima o dia da mudança de horário. Nesses períodos de troca, ela já se acostumou a atender, no balcão de informações, pessoas perguntando se o ônibus que elas estavam esperando, sem se dar conta do novo horário, já tinha partido. Acostumou-se, também, a explicar como o sistema funciona quando a troca se aproxima.

— Se o ônibus sai à meia-noite, o passageiro tem que estar lá dentro antes disso, independentemente do horário de verão. Se sai à 1h, 1h30min, é preciso estar atento ao novo horário.

Uma hora a mais, uma a menos durante a madrugada não faz muita diferença no orçamento, segundo os responsáveis pelos restaurantes que operam nesse período na Rodoviária. O movimento durante essa parte do dia é pequeno, e o maior problema por lá acaba sendo mesmo para quem se perde nos ponteiros. Mas, para locais mais movimentados de consumo, a realidade é outra.

Bares têm estratégia para driblar "tempo perdido"

Para quem está em pleno turno de trabalho durante a mudança, a chegada do horário de verão não chega a ser ruim — afinal, pode-se acabar trabalhando uma hora a menos. Quem vive do comércio, porém, lamenta essa diferença para as vendas. No Boteco Pinguim da Avenida Assis Brasil, em Porto Alegre, a ordem será estender o horário normal de funcionamento. De sábado para domingo, o bar fecha às 3h. No dia em que o horário de verão entrar em vigor, o gerente vai abrir uma exceção.

— Uma hora no início da madrugada, com casa lotada, faz muita diferença no lucro. Como o cliente não deve assimilar a mudança na hora, já estamos trabalhando com a ideia de estender o funcionamento. Só depois vamos realmente adotar o horário de verão — garante Hilton Serpa.

Márcio de Paoli, sócio-gerente do Bar do Beto na Rua Sarmento Leite, pensa o mesmo. E tem até uma explicação para quem não se dá conta de que o relógio pulou uma hora.

— Bebendo, o pessoal nem vai perceber que a hora passou. Mas, para a gente, faz diferença.

Dicas para não se perder

- Se a viagem está marcada para a meia-noite do sábado para domingo, esteja no local com antecedência. Não tem erro: quando o ponteiro passar das 23h59min, já será quase hora de partir.

- Se o bilhete indica um horário no início da madrugada, atenção: a saída está marcada já no horário novo. O ônibus da 1h30min, por exemplo, equivale a 0h30min em um relógio não adiantado.

- As partidas no início do dia também podem gerar confusão. Prepare-se para ter uma hora a menos de sono e acordar já no horário de verão, ajustando relógios e despertadores analógicos.

* Zero Hora

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.