Vem aí

Saiba o que pode mudar nas pensões do INSS com a reforma da Previdência

Governo federal pretende endurecer as regras para ter acesso ao benefício. Entre as ideias, está impedir o acúmulo com a aposentadoria

10/10/2016 - 21h58min | Atualizada em 11/10/2016 - 14h32min
Saiba o que pode mudar nas pensões do INSS com a reforma da Previdência Diego Redel/Agencia RBS
Foto: Diego Redel / Agencia RBS

A proposta de reforma da Previdência que está saindo do forno do governo federal deverá mexer com as pensões pagas pelo INSS. Significa dizer que se pretende endurecer as regras para ter acesso ao benefício e também tentar reduzir o valor do que é pago mensalmente aos beneficiários. A última versão da proposta foi apresentada na quinta-feira passada ao presidente Michel Temer, que deverá começar a mostrar as medidas a centrais sindicais nesta semana.

Em entrevista na quarta-feira passada, o presidente voltou a bater na tecla de que a reforma é necessária porque, só neste ano, o déficit da Previdência será de R$ 100 bilhões.Para quem não tem o direito adquirido e pretende receber a pensão do INSS, as novas regras que o governo deixou vazar são de arrepiar: reduzir pela metade, desatrelar do salário mínimo e impedir o acúmulo com a aposentadoria.

Leia mais
Aposentados por invalidez passarão por pente-fino apenas em março
Recebeu adiantamento do 13º salário? Veja 5 dicas para utilizar a grana
INSS estabelece procedimentos para a revisão de benefícios decorrentes de medidas judiciais

Mas não está claro se o governo quer todas as medidas adotadas de uma vez só. 

– O que se sabe agora faz parte de uma estratégia de divulgar aos poucos e ver o que a sociedade rejeita – cogita o advogado especialista em Direito Previdenciário Paulo André Solano.

Para ele, a medida mais difícil é o impedimento do acúmulo da pensão com outro benefício previdenciário, que esbarraria em direitos adquiridos e garantidos na Constituição.

Requisitos

O advogado Odilon Marques Garcia Júnior aconselha o trabalhador a se informar:

– Verifique se já tem os requisitos para aposentadoria ou outro benefício previdenciário. Se já tiver, poderá alegar direito adquirido mesmo antes de entrar com o pedido. Para que as mudanças passem a valer, a reforma da Previdência precisa ser aprovada no Congresso. Ainda não há data confirmada para as votações.

Pensionistas indignadas 

Lourdes Fonseca se indigna ao ouvir propostas cogitadas pelo governo federal Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

A eletricitária aposentada Altair Nunes Suarez, 76 anos, consegue pagar as contas do mês porque recebe mensalmente do INSS a pensão do marido. Só de ouvir propostas cogitadas pelo governo federal, ela se indigna. Também é o caso da aposentada Lourdes Fonseca, 65 anos. Quando passou a viver com a pensão do marido, sentiu a redução gradual do valor ao longo dos anos. Foi aí que encaminhou a aposentadoria a que tinha direito. Ela cogita sair às ruas para protestar contra as mudanças:

– Os protestos já não conseguiram alguma coisa? Acho que, se mais gente fosse pra rua, poderia adiantar. 

Leia mais notícias


 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.