O Projac da colônia

O homem que criou um museu colonial a céu aberto em Garibaldi

Luiz Henrique Fitarelli está há mais de 10 anos construindo uma réplica de povoado colonial para guardar objetos recolhidos ao longo de toda uma vida

17/02/2017 - 10h00min | Atualizada em 17/02/2017 - 10h00min
O homem que criou um museu colonial a céu aberto em Garibaldi Carlos Macedo/Agencia RBS
Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS  

O hábito de Luiz Henrique Fitarelli de colecionar objetos originais dos antigos moradores de colônias italianas começou com as ferramentas da própria família, os instrumentos de trabalho de seus avós, um deles ferreiro, o outro tanoeiro e agricultor. Em anos de atividade como veterinário, ele percorreu estradas da Serra comprando objetos originais em casas e fazendas da região, e juntou tanta coisa que precisou de um lugar para guardar tudo aquilo. Aí, teve a ideia de criar um misto de museu etnográfico e cenário de novela.  

Na terceira reportagem da série Singular – um olhar sobre o Rio Grande, o repórter Itamar Melo e o fotógrafo Carlos Macedo viajaram a Garibaldi para encontrar o homem que há mais de uma década está montando sua própria colônia italiana, em um trabalho que ainda não tem data para terminar nem para ser aberto ao público. Veja abaixo o especial da série:

Foto: Carlos Macedo / Arte ZH


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.