Fique atento

Cuidados para não ser vítima de saidinha de banco ao sacar o FGTS

Fique atento a pessoas suspeitas nos ambientes externo e interno das agências bancárias

10/03/2017 - 19h06min | Atualizada em 10/03/2017 - 19h06min
Cuidados para não ser vítima de saidinha de banco ao sacar o FGTS Jean Pimentel/Agencia RBS
Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS  

Com o início do calendário de saque das contas inativas do FGTS nesta sexta-feira, um crime bem conhecido dos gaúchos deve receber atenção redobrada dos beneficiários. A saidinha de banco, ato em que os criminosos se aproveitam das vítimas que deixam as agências com dinheiro para assaltá-las, pode transformar a grana extra em dor de cabeça.

Conforme previsão da Caixa Federal, cerca de 2 milhões de gaúchos irão sacar o Fundo até 31 de julho, recuperando um total de R$ 2,6 bilhões das contas inativas. Para diminuir o risco de assaltos, o banco, que gerencia o FGTS, disponibiliza opções de transferências para outros bancos de forma gratuita.

Leia mais:
Tudo que você precisa saber sobre o saque das contas inativas do FGTS
No primeiro dia de saques, Caixa admite problemas 
Contas inativas do FGTS: saque está liberado, você já conferiu se tem direito?

Fique atento

O responsável em exercício pelo setor de Comunicação da Brigada Militar, capitão Djan Carlos de Souza Fagundes, ressalta que os assaltantes se dividem, de forma geral, em dois grupos. Aqueles que escolhem as vítimas aleatoriamente, aproveitando-se da distração, e os que programam a abordagem antecipadamente com base em informações privilegiadas.

Nos dois casos, o policial militar diz que é preciso, antes de entrar na agência, ficar atento a pessoas suspeitas nos ambientes externo e interno, que ficam por longo período sem realizar qualquer operação ou rondando o banco.

Em geral, esses ladrões agem em grupos, armados ou não. Alguns chegam a apontar armas às vítimas, outros, simplesmente agarram o dinheiro e saem correndo. Neste caso, a Brigada Militar deve ser acionada. Já dentro do banco, qualquer situação anormal precisa ser relatada aos seguranças. O diretor da Delegacia de Polícia Regional de Porto Alegre, delegado Eduardo Hartz, pede que os beneficiários guardem o dinheiro em locais discretos e menos óbvios possíveis. E, caso sejam abordados, que não reajam.

— Sei que é difícil em uma hora de estresse manter a calma, mas é preciso saber que o ladrão também estará nervoso. Então, sempre deixe as mãos visíveis — sugere.

Confira as dicas de segurança

* Desconfie de pessoas que observam muito e que não respeitam a distância na fila do saque.

* Não empreste o cartão nem forneça sua senha a estranhos.

* Não aceite nem peça ajuda de estranhos.

* Cuide quem está ao seu redor e sempre procure os atendentes do banco em caso de dúvida.

* Agências localizadas em áreas movimentadas devem ser priorizadas.

* Nunca conte dinheiro em público. Se houver necessidade disso, faça em local reservado da agência.

* Não comente com estranhos sobre a operação que realizou ou realizará.

* Procure ir ao banco sempre acompanhado.

Fontes: capitão da BM Djan Carlos de Souza Fagundes e Federação Brasileira de Bancos

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.