Folguinha

Sequência de três feriadões nos próximos dias opõe lojistas e agentes de viagem

De um lado, lojistas reclamam de tanta folga. Já o setor de turismo comemora calendário repleto de feriadões.

10/04/2017 - 20h00min | Atualizada em 10/04/2017 - 20h00min
Sequência de três feriadões nos próximos dias opõe lojistas e agentes de viagem Daniel Marenco/Agencia RBS
Partiu! Foto: Daniel Marenco / Agencia RBS  

A sequência de feriados que vem pela frente tem deixado alarmada a comunidade empresarial do Rio Grande do Sul. Do dia 14 de abril até 1º de maio, serão três feriadões: Sexta-Feira Santa (14 de abril), Tiradentes, que cairá na sexta-feira seguinte (21 de abril) e o 1º de maio, Dia do Trabalho, que será numa segunda-feira.

Leia mais
Saiba como usar melhor os programas de milhagem
12 destinos brasileiros que valem muito a pena na baixa temporada

Uma queixa é sobre o "esvaziamento" das grandes cidades, com os consumidores viajando para praias ou Serra, deixando o comércio vazio. Além disso, empresários lamentam haver um dia útil a menos para funcionários produzirem e venderem. 

– Cada dia de feriado reduz em 5% o faturamento do comércio de rua, então, esses três feriados terão um impacto grande nas vendas. Nos shoppings o impacto é um pouco menor, mas também há – lamenta Arcione Piva, vice-presidente do Sindilojas Porto Alegre.

Muitos lojistas de rua preferem nem abrir as portas em razão da insegurança no Rio Grande do Sul, agravada com a cidade esvaziada, explica Piva. E quem decide abrir, nem sempre encontra clientela. Mas os custos no final do mês, com aluguel, água, luz e salários, permanecem iguais. 

Felicidade

Por outro lado, quem comemora é o setor turístico. Neste ano, as agências de viagem brasileiras esperam faturar 8% a mais do que no ano anterior, graças à maré de feriadões, conforme a Associação Brasileira de Agências de Viagens do Rio Grande do Sul (Abav-RS). Ou seja, é mais dinheiro circulando em bares, restaurantes, companhias aéreas, hotéis e prestadores de serviços como guias e motoristas. 

– Tem sido bem intensa a procura por pacotes de curta duração, especialmente para o Rio de Janeiro, em que a viagem dura uma hora e meia, e curte-se durante os três dias – explica João Augusto Machado, presidente da Abav-RS.

Além das folgas nas próximas semanas, este ano terá os feriados prolongados de Corpus Christi (15 de junho, quinta-feira), Independência do Brasil (7 de setembro, quinta-feira), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro, quinta-feira), Finados (2 de novembro, quinta-feira) e Natal (25 de dezembro, segunda-feira).

Machado explica que, para faturar alto com as datas comemorativas, os hotéis de diferentes destinos turísticos no Brasil passaram a facilitar o agendamento em datas quebradas, para quem não consegue o feriadão cheio, e as companhias aéreas têm oscilado menos o valor das passagens, favorecendo a previsibilidade.

Atenção com as contas

Para o trabalhador e o estudante, indiferentes ao cabo de força entre comércio e agências, curtir o descanso sempre é um bom negócio, mas, seja com viagens curtas ou aproveitando na própria cidade, é preciso planejamento e cautela para não gastar demais com a quebra de rotina.

– É importante se planejar não apenas para o próximo feriado prolongado, mas sim analisar o calendário e se programar para o que irá fazer ao longo do ano, evitando ações por impulso que podem levar ao endividamento e a inadimplência – orienta o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos.

Para quem tem o costume de viajar em todos os feriados prolongados e já se programou para os próximos, é válido atentar aos gastos extras que podem ocorrer durante o passeio. Para quem ainda não se planejou e mesmo assim que aproveitar a oportunidade, é importante evitar criar dívidas e fazer uma reserva financeira para amenizar o impacto no bolso. 

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.