Medicamentos

Farmácia Popular: unidades próprias começam a fechar neste mês

A alternativa dada pelo governo federal é procurar pelas farmácias privadas com os cartazes "Aqui tem Farmácia Popular"

16/05/2017 - 17h21min | Atualizada em 16/05/2017 - 17h21min
Farmácia Popular: unidades próprias começam a fechar neste mês Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS  

Agora, é oficial. As 28 unidades próprias do Programa Farmácia Popular no Rio Grande do Sul estão fechando até o mês de junho. O Ministério da Saúde enviou, semana passada, ofício informando que não vai mais ajudar na manutenção dos locais em todo o país.

Leia mais
Opção por medicamentos manipulados pode trazer economia de até 30%
Reajuste dos medicamentos: saiba qual é o aumento máximo 

Em Porto Alegre, a única unidade própria do programa funciona junto à Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), na Rua Ramiro Barcellos, bairro Santana. Na quinta-feira passada, o comunicado do ministério chegou por e-mail.

– Vamos fechar, isso já é certo. Nós entrávamos com o prédio e com os profissionais, o ministério nos mandava os medicamentos. Não entendo essa decisão, é um programa de sucesso. O que fazer agora? Não sabemos ao certo – afirma o diretor da faculdade, professor José Angelo Silveira Zuanazzi.

Ele conta que o local atende, em média, 300 pessoas por dia, sendo uma referência na venda de medicamentos com até 90% de desconto. Segundo ele, em 2016, 30.880 atendimentos foram realizados na unidade. O professor não sabe precisar a data oficial de fechamento.

– Mas deve ser até o final de junho, quando acabarem os medicamentos. Devemos ter uma reunião na próxima semana para acertar esses detalhes – diz.

As outras 27 unidades próprias do programa estão vinculadas a municípios. Todos já foram informados oficialmente pelo Ministério da Saúde sobre o fim dos repasses.

– Todas deverão fechar, os municípios não têm condições de manter sozinhas esses locais. Para junho e julho, esperamos outra portaria do governo, dessa vez informando que vai mandar o recurso para a atenção básica, como prometeu – afirma o presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RS (Cosems-RS), Diego Espindola.

Dinheiro para medicamentos

De acordo com o governo federal, os recursos que eram usados na manutenção das estruturas serão realocados para a compra mensal dos medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica e serão distribuídos entre todos os municípios. Dos atuais R$ 5,10 por habitante, a promessa é repassar
R$ 5,58.

A decisão de encerrar o financiamento ocorreu em reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), com integrantes das gestões do Estado, de municípios e do ministério.

O que os usuários devem fazer

Para as pessoas que buscam medicamentos nas unidades da Farmácia Popular que estão fechando, a alternativa será buscar os medicamentos nas farmácias privadas que têm o cartazes "Aqui Tem Farmácia Popular" ou nas unidades de saúde dos municípios. Geralmente, elas trabalham com menos variedade de medicamentos do que as unidades próprias. 


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.