Saúde

Novo centro de oncologia do Hospital Conceição esbarra em falta de recursos

Unidade precisa garantir verbas públicas para sair do papel

Por: Guilherme Justino
17/05/2017 - 20h04min | Atualizada em 17/05/2017 - 20h18min
Novo centro de oncologia do Hospital Conceição esbarra em falta de recursos Omar Freitas/Agencia RBS
Foto: Omar Freitas / Agencia RBS  

Anunciado em 2015, o projeto de construção de um novo centro para o tratamento de câncer e outras doenças no Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre, está em fase final. A obra, contudo, ainda não começou. Mesmo com terreno garantido pela prefeitura e aprovação dos órgãos públicos de saúde, o Grupo Hospitalar Conceição (GHC) afirma que ainda depende de decisões políticas a fim de garantir os recursos necessários para erguer a estrutura.

O local que deve abrigar o Centro de Hematologia e Oncologia do GHC, na antiga Praça Sady da Conceição, ainda não passa de uma área vazia. Ali, por enquanto, está sendo feita uma subestação de energia que vai abastecer a nova estrutura e permitir uma eventual ampliação dos serviços do hospital. A conclusão dessa parte inicial da obra está prevista para setembro.

Ainda não há garantias, porém, de que o próximo e mais importante passo será concluído. Segundo o diretor técnico do grupo hospitalar, Mauro Sparta, a verba de que se precisa para dar o impulso inicial no centro oncológico neste ano, de R$ 32 milhões, está garantida, mas só será liberada quando as obras realmente começarem. Já para os próximos anos — estima-se que a construção deve seguir pelo menos até 2019 —, falta a certeza de que haverá a destinação de recursos do governo federal.

Leia mais:
Anvisa registra teste de farmácia para detecção do HIV
Câncer infantil aumentou 13% em 20 anos, aponta OMS
Ir de bicicleta para o trabalho reduz risco de câncer e doenças cardiovasculares 

— Já fizemos a nossa parte, mas falta essa verba para os próximos anos. Dependemos de emendas parlamentares para ter essa garantia — relata Sparta.

As emendas são apresentadas pelos parlamentares com o objetivo de obter recursos para serviços nas suas bases eleitorais — por isso se fala em "vontade política" para a liberação. No entendimento do Ministério da Saúde, essas emendas devem contemplar prioridades do SUS. Todo o atendimento médico no GHC é feito pelo SUS. A pasta esclarece, porém, que "não envia verba diretamente a nenhum hospital, mas aos seus respectivos fundos estaduais e municipais de saúde, que enviam os recursos federais e completam com os próprios".

Centro poderá atender a todos os tipos de câncer

Com 25% das internações concentradas em casos de câncer, o Hospital Conceição pretende duplicar sua capacidade de atendimento a pacientes oncológicos com o novo centro, chegando a quase cem leitos destinados a essa função. Todas as áreas voltadas ao tratamento do câncer, hoje espalhadas pela unidade principal, levando a idas e voltas de pacientes já debilitados, passarão a ser concentradas no Centro de Hematologia e Oncologia.

—O espaço hoje é precário. Atendemos em grande volume, mas a área física não é a ideal. Isso vai melhorar com o novo centro, poderemos fazer todo o atendimento de um jeito integrado, no mesmo espaço. O paciente vai poder chegar, ser atendido pelo médico, fazer a quimioterapia e buscar os remédios no mesmo local — explica o coordenador do Serviço de Hematologia e Oncologia do Hospital Conceição, Marcelo Capra.

A proposta que consta no projeto inclui o atendimento a casos que hoje não contam com essa possibilidade no hospital. O Conceição atualmente não tem um serviço de radioterapia nem a capacidade de fazer transplantes de medula. Assim, casos graves e não tão raros, como de tumores na cabeça e pescoço e câncer do colo do útero, acabam sendo tratados apenas parcialmente no local, sendo depois complementados em hospitais que contam com os equipamentos necessários.

Números

— Houve 6 mil internações de casos oncológicos no Hospital Conceição em 2015.

— Na média, a cada quatro internações, uma é por câncer.

— 93% dos casos oncológicos do hospital são de pacientes de Porto Alegre e Região Metropolitana.

— O Centro de Hematologia e Oncologia do GHC está orçado em R$ 150 milhões.

— Desse valor, R$ 32 milhões estão garantidos e serão recebidos neste ano, contanto que as obras tenham início.

— Os R$ 118 milhões restantes de recursos federais precisariam ser garantidos por meio de emendas parlamentares

— Em 2016, R$ 118 bilhões do orçamento do governo federal foram destinados à saúde.

O centro

— Funcionará em prédio de seis pavimentos, com área de 14 mil metros quadrados, integrando todo atendimento de Oncologia do Hospital Conceição.

— Deve oferecer rastreamento, diagnóstico precoce, consultas especializadas, atendimento multiprofissional e tratamento com cirurgia, radioterapia, quimioterapia e cuidados paliativos.

— Haverá quatro unidades de internação, com 94 leitos, e área de convivência.

— Pretende garantir cuidado integral aos pacientes por meio dos serviços de Onco-Hematologia, Psicologia, Serviço Social e Fisioterapia.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.