Frio? Que frio?

O inverno dos outros: sensação térmica de 16ºC vira manchete de jornal na Bahia

O espanto se explica: nordestinos estão acostumados a temperaturas mais altas na estação  

19/07/2017 - 12h54min | Atualizada em 19/07/2017 - 16h01min
O inverno dos outros: sensação térmica de 16ºC vira manchete de jornal na Bahia Rodrigo Oliveira/Rádio Gaúcha
Jornal Correio da Bahia deu destaque para o "frio" de 16ºC em Salvador Foto: Rodrigo Oliveira / Rádio Gaúcha  

Um desavisado que tiver a oportunidade de observar as edições desta quarta-feira (19) de Zero Hora e do Correio da Bahia será levado a crer que, em termos climáticos, gaúchos e baianos estão irmanados por condições muito parecidas nestes dias.

Em Zero Hora, a contracapa inteira é ocupada por imagens de campos embranquecidos pela geada, capturadas em um dia no qual a temperatura caiu a -4ºC. "Frio por todos os lados", define o título do jornal.

Leia mais
VÍDEO: frio intenso congela cascata em Urupema, na Serra catarinense
Frio no RS: Serafina Corrêa marca -4,3ºC nesta quarta-feira

O Correio da Bahia, um dos principais jornais do Nordeste, concede ainda mais nobreza ao tema meteorológico: estampa de uma margem à outra, em plena capa, a foto de uma baiana típica a andar por uma rua úmida, sobre a qual é aplicado, em letras enormes, o título "Que frio!" – com ponto de exclamação e tudo. Em letras menores, vem a informação que pode soar algo cômica para os gaúchos: "Salvador tem sensação térmica de 16ºC". A temperatura mínima que assustou os soteropolitanos foi, nessa terça-feira, de 19ºC.

Além de revelar que baianos são mais fiasquentos quando se trata de temperaturas, o episódio demonstra o quanto o conceito de frio pode ser relativo. Na terça-feira, por exemplo, a TV Globo dedicou mais de dois minutos de um telejornal matinal ao sofrimento dos moradores do sertão pernambucano, submetidos a mínimas enregelantes "de até 17ºC". O gaúcho que assistiu ao programa, exibido quando por aqui faziam temperaturas próximas a 0ºC, inevitavelmente balançou a cabeça, assumiu um ar de superioridade e soltou um comentário zombeteiro qualquer. A reportagem mostrava gente aquecendo-se ao fogo, enrolada em cobertores ou afundada em cachecóis. Antes de rir, no entanto, o gaúcho deveria considerar que os invernos da região são marcados por temperaturas acima dos 30ºC.

É mais ou menos essa diferença de padrões que justifica a capa desta quarta-feira do Correio da Bahia. A meteorologista Cláudia Valéria, do 4º Distrito de Meteorologia, sediado em Salvador, diz que são raras sequências como as registradas na Capital baiana desde o sábado, com mínimas variando de 18,8ºC a 19,4ºC.

– Para o soteropolitano, isso é considerado frio, principalmente pela sequência e pelos dias nublados, chuvosos. Nesta semana, as pessoas mudaram de hábitos, não estão indo à praia. Mas eu digo que elas têm memória curta. Em 2008, tivemos mínima de 17,5ºC – afirma.

Com temperaturas nessa faixa, o gaúcho sai de bermuda e camiseta à rua. Mas é melhor ter cautela antes de tirar sarro de baianos e pernambucanos. Sabe-se que, aqui nos pampas, temperaturas abaixo de 10ºC mobilizam amplos casacões e gorros, marcas negativas viram notícia e a queda de meio floco de neve paralisa o Rio Grande. Um canadense, um russo ou um escandinavo, acostumado com metros de neve à porta de casa e termômetros na faixa dos -20ºC ou -30C, se soubesse disso, assumiria aquele inconfundível ar de superioridade e diria, com toda a razão: "São mesmo fiasquentos esses gaúchos".

Foto: ZH/Reprodução

ZERO HORA

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.