Cofres do RS

Justiça suspende liminar que obrigava Estado a aplicar 35% dos recursos em educação em 2018

Piratini alegou que o percentual exigido representaria risco de "grave lesão à ordem administrativa"

05/09/2017 - 11h58min | Atualizada em 05/09/2017 - 16h37min
Justiça suspende liminar que obrigava Estado a aplicar 35% dos recursos em educação em 2018 Germano Rorato/Agencia RBS
Foto: Germano Rorato / Agencia RBS  

A Justiça suspendeu liminar que obrigava o governo gaúcho a aplicar pelo menos 35% dos recursos em educação a partir do ano que vem. A decisão é do presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Luiz Felipe Silveira Difini, que acolheu pedido do Estado do Rio Grande do Sul.

Leia mais:
Professores estaduais aprovam greve por tempo indeterminado
RS tem três universidades em ranking de melhores do mundo
Professora cria projeto para "empoderar" meninas em escola estadual

O Piratini havia recorrido contra decisão liminar, concedida em abril em Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público. O órgão alegava que não vinha sendo aplicado o limite mínimo de 35% da receita resultante de impostos em prol do ensino público, conforme determina a Constituição Estadual. Segundo a promotora Daniele Schneider, responsável pela ação, há um reiterado descumprimento da lei desde 2004, o que causa prejuízos à educação.

Pela legislação federal, o investimento mínimo em educação deve ser de 25% da receita resultante de impostos.

O Estado recorreu sob a justificativa de que o percentual de 35% exigido poderia representar risco de "grave lesão à ordem administrativa", já que o impacto nas contas, em caso de cumprimento da liminar, somaria R$ 1,5 bilhão.

O Ministério Público ainda analisa o caso.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.