Sobre Rodas

Produção de veículos tem pior semestre em 12 anos

Com 983,5 mil unidades, a queda foi de 25,4% em relação ao mesmo período de 2015

11/01/2017 - 03h02min | Atualizada em 11/01/2017 - 03h02min

* Publicado no blog Gilberto Leal em 07 de julho de 2016

Vendas baixas, linhas de montagem continuam trabalhando em marcha lenta Foto: Audi / Divulgação

 Pressionada pela recessão provocada pela crise política que abalou a economia, a cadeia automotiva continua em queda livre. De janeiro a junho saíram das linhas de montagem 983,5 mil veículos, volume 25,4% menor em relação ao primeiro semestre do ano passado. Os dados divulgados nesta quarta-feira pela entidade dos fabricantes, a Anfavea, mostram que o período foi o pior desde 2004 quando foram produzidos 999.716 automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Em junho foram produzidos 182,6 mil unidades, o segundo melhor resultado no ano, mas o pior desde junho de 2004.

Dificuldades no financiamento compromete venda de caminhões Foto: Mercedes-Benz / Divulgação

Apesar das safras recordes, o segmento de caminhões despencou. No primeiro semestre foram produzidos 25,6 mil veículos, 31,4% menos do que de janeiro a junho de 2015. Ao contrário do que ocorre nos anos de eleições municipais em que a venda de ônibus saltam nos seis meses que antecedem o pleito, desta vez foi diferente. O setor amargou a maior queda da cadeia automotiva no semestre com o tombo de 33,4% e 9,2 mil chassis produzidos.

Real desvalorizado em relação ao dólar ajuda montadoras na exportação Foto: VW / Divulgação

No quadro melancólico, o único resultado positivo do semestre foi o da exportação, beneficiado pela desvalorização do real. O embarque de 226,6 unidades cresceu 14,2% em relação ao mesmo período de 2015. Considerando apenas os chassi para ônibus, o comportamento também foi favorável com 3,8 mil unidades e aumento de 17,2%. Destoando do quadro, a exportação de caminhões ficou na contramão e acumulou queda de 8% com de 9,4 mil unidades.

Presidente da Anfavea, Antônio Megale Foto: Anfavea / Divulgação

Para o presidente da AnfaveaAntônio Megale, os resultados foram prejudicados pela falta de crédito. As vendas financiadas, que normalmente ficam acima dos 60%, caíram para 51,8% do total, a menor participação desde 2003 quando começou o registro da série histórica. Também os feriados das festas juninas no Nordeste e Centro-Oeste comprometeram as vendas de junho com reflexo no semestre.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.