Test-drive

Ford Fusion Hybrid, de Porto Alegre a Itapema na ponta do lápis

Avançada tecnologia, conforto e segurança, o sedã flutua na estrada

Por: Gilberto Leal
11/02/2017 - 15h12min

Com o silêncio, o conforto, o desempenho e os recursos eletrônicos do Fusion, os 570 quilômetros que separam a zona Sul de Porto Alegre e Itapema, em Santa Catarina, passaram rápidos. Foram pouco mais de seis horas com parada de 10 minutos próximo a Florianópolis para um cafezinho recomendado pelo detector de cansaço. Sobrou potência com os 190 cv combinados dos motores elétrico e a gasolina de ciclo Atkinson (143 cv) distribuídos pela transmissão continuo variável e-CVT. Apesar do ótimo desempenho rodando nos limites de velocidade das BR/290 e BR/101, o sedã gastou meio tanque de combustível, 33 litros, com a média de 17,2 km/l. Ao todo foram percorridos 1.700 quilômetros incluindo ida, volta e rodagem por trechos urbanos de cidades catarinenses e gaúchas com o consumo de 95 litros de gasolina e média de 17,8 km/l. O Ford Fusion Hybrid avaliado custa R$ 159.500. 

Visual do sedã segue a identidade visual da marca que valoriza a ampla grade e o grupo ótico com assinatura em LEDs Foto: Priscila Nunes/Especial

Acesso por aproximação, o interior chama a atenção pelo espaço e sofisticado acabamento premium. Ao acionar o botão de partida, mensagem avisa que o carro está pronto para rodar. Basta girar o seletor de marchas e soltar o freio. O sedã parte suave, em silêncio com o motor elétrico que pode funcionar até a velocidade de 100 km/h. Na cidade, é o principal modo de propulsão, o que garante economia de combustível com médias que superam os 19 km/h conforme o ciclo urbano.

O conjunto propulsor híbrido gera 190 cv de potência distribuidos pelo câmbio automático e-CVT Foto: Priscila Nunes/Especial

 Na cidade, o motor elétrico alimentado por bateria de íons de lítio recarregável e o Stop and Go reduzem o consumo de combustível. Na estrada, o 2.0 de ciclo Atkinson a gasolina mostra a sua força com potência de sobra para os 1.640 quilos do Fusion Hybrid. A recarga da bateria é auxiliada pelo sistema de freios regenerativos mostrada no quadro de instrumentos. O Ecoselect prioriza a economia de combustível com acelerações mais suaves e a recuperação de energia da frenagem. O câmbio automático e-CVT gerencia os dois motores e conta com o modo low, de marcha reduzida, para aclives ou declives acentuados. Assistentes de direção com imagem na tela configurável do quadro de instrumentos mostram como gastar menos combustível. A aceleração progressiva também ajuda. 

Volante multifuncional e interior com revestimento em couro e detalhes em pretro brilhante e cromados Foto: Priscila Nunes/Especial

A direção elétrica, a suspensão macia e tecnologias de condução semi autônoma facilitam dirigir o Fusion. Na cidade, são recursos como o assistente autônomo de detecção de pedestres, o alerta de ponto cego e sistema de estacionamento automático para vagas paralelas e perpendiculares. Na estrada, o controle eletrônico automático adaptativo de velocidade, alerta de colisão com assistente autônomo de frenagem e o alerta de permanência em faixa e o sensor de fadiga, entre outras, aumentam a segurança. 

Recursos eletrônicos de tecnologias de condução semi autonomia aumentam a segurança e resxuzem riscos de acidentes Foto: Priscila Nunes/Especial

No retorno, a esticada em Bombinhas foi complicada. Na ida, pagamento de pedágio para entrar na cidade, nesta época do ano congestionada. Distante seis quilômetros de Porto Belo,a viagem que dura de 15 a 20 minutos, na volta levou duas horas e meia. Sob chuva forte, no anda e para, o motor elétrico mostrou sua utilidade e garantiu uma média de 14,9 km/l. Com o conforto e a sofisticação do Fusion a repórter e editora digital Priscila Nunes aproveitou e tirou um cochilo. 

Direção precisa, suspensao macia, freios ABS e controles de estabilidade e tração, o sedã flutua ma estrada Foto: Priscila Nunes/Especial

O entre-eixos de 2,85 garante generoso espaço para os cinco ocupantes. Acabamento em couro, os bancos dianteiros com ajustes elétricos são autênticas poltronas. De fácil visualização, as duas telas de 4,2 polegadas configuráveis do quadro de instrumentos permitem selecionar informações do veículo, como carga da bateria, entre outros. O Sync3 com tela capacitiva de 8 polegadas, conta com interface gráfica e comandos intuitivos e por voz para telefone, navegação, música, ar-condicionado automático digital, mensagens de voz e aplicativos, através do sistema AppLink, Apple CarPlay e Android Auto. 

As limpas limpas são marcadas por vincos no capô, laterais e traseira onde se destacam as lanternas em LED Foto: Priscila Nunes/Especial

Para a Priscila, chamou a atenção o silêncio do conjunto propulsor. ¿Durante a viagem, com o som alto do carro, não conseguimos perceber o motor funcionando. No painel tecnológico do Fusion caem folhas verdes, que nos faz lembrar a importância da sustentabilidade. O respeito com a natureza é fundamental para o nosso futuro e este carro transfere isso. A sensação que tive foi de conforto, segurança e modernidade, com a parte interior e os comandos externos que fazem até mesmo o carro frear sozinho.¿

Foto: Gilberto Leal

Conclusão: O Fusion Hybdrid é um luxuoso, confortável e seguro sedã familiar que chegou para mexer com os automóveis premium do segmento, os alemães Audi, BMW e Mercedes-Benz. Sem preocupação esportiva, é uma boa opção para quem busca uma condução sustentável com reduzidos consumo de combustível e emissões. O problema é o porta-malas de 382 litros, devido o espaço ocupado pela bateria, e que limita o espaço para bagagem em viagens.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.