Test-drive

Fiat Uno 1.3 Sporting 2017, quando o desempenho faz a diferença

Hatch compacto valoriza o conforto, a segurança e o comportamento mais ágil com modesto consumo de combustível

Por: Gilberto Leal
16/03/2017 - 09h04min | Atualizada em 16/03/2017 - 09h04min

A frente reestilizada, detalhes exclusivos, novos recursos eletrônicos e a suspensão com acerto mais esportivo identificam o Uno Sporting 2017. Mas o que chama a atenção mesmo é o motor de três cilindros FireFly 1.3. O propulsor com até 21 cv mais potente em relação ao anterior 1.4 garante bom desempenho na cidade e na estrada sem comprometer o consumo de combustível.


O Sporting conta com detaljes que valorizam o visual como na frente, na caixa de rodas, saias e identificação Foto: Priscila Nunes/Especial

Bem equipado, a dirigibilidade também melhorou com a direção elétrica e a função City, que facilita manobras de estacionamento em espaços reduzidos. O Fiat Uno 1.3 Sportin 2017 custa a partir de R$ R$ 49.340 que na versão avaliada, completa com os kits Conforto e Tech passa para R$ 55.477.


O para-choque robusto  e moldura dos auxiliares de neblia deixaram o hatch compacto com a frente mais agressiva Foto: Priscila Nunes/Especial

Os aperfeiçoamentos atualizaram o Sporting. O para-choque mais agressivo, as rodas com aro de 15 polegadas, o spoiler na tampa do porta-malas e o escapamento com saída dupla central valorizam o visual. Para completar, os adesivos nas laterais que identificam a versão e lembram o Uno R dos anos 80. O motor de três cilindros 1.3 deu vida nova ao Uno 2017 com desempenho que pouco lembra o modelo com o antigo propulsor 1.4. 


Foto: Priscila Nunes/Especial

Na cidade, o Sporting ficou bem mais ágil. O FireFly responde rápido e sobra potência. O Start/Stop, que desliga o propulsor nas paradas em sinaleiras, por exemplo, ajuda reduzir o consumo de combustível. A direção elétrica deixou o volante bem mais leve e o modo City reduz ainda mais a força para acionar a direção. O que com o sensor de distância, facilita a manobra de estacionamento em vagas de espaço reduzido. Tem ainda o assistente de partida em rampa. Na cidade, as médias ficaram de 9,6 km/l a 11,9 km/l dependendo do fluxo de trânsito.

Na estrada,  o Uno roda tranquilo e encara curvas acentuadas dentro dos limites de velocidade  Foto: Priscila Nunes/Especial

Na estrada, o Sporting roda tranquilo com baixo ruído. São de 101 cv (gasolina) até 109 cv (etanol) e 14,2 kgfm de força (torque) espertos e bem distribuídos pela transmissão manual de cinco marchas. Sobra potência para puxar os 1.000 quilos do hatch. Basta pisar no acelerador que o FireFly responde rápido, o que garante ultrapassagens seguras. 

Na traseira, aerofólio na tampa do porta-malas, lanternas em LEDS e duplo escapamento central Foto: Priscila Nunes/Especial

A força do propulsor e a suspensão com acerto mais esportivo de molas e amortecedores estimulam o condutor. Os pneus mais largos ajudam e o Sporting desconhece curvas mais sem comprometer o conforto e a segurança com reduzida rolagem da carroceria. O controle de estabilidade ajuda nas situações mais fortes. Dentro dos limites de velocidade, o Sporting ignorou os trechos sinuosos da BR/116 entre Ivoti e Nova Petrópolis. 


O propulsor de quatro cilindros 1.3 desenvolve de 101 cv com gasolina até 109 cv quando abastecido apenas com etanol Foto: Priscila Nunes/Especial

A eficiência energética surpreendeu com médias de 16,4 km/l a 19,5 km/l nas velocidades entre 80 km/h e 100 km/h. Com o tanque de 48 litros rodou mais 700 km entre cidade e estrada com média geral de 14,2 km/l.


O interior escurecido combina revestido em tecido com detalhes em pretp brilhante, cinza e vermelho Foto: Priscila Nunes/Especial

O bom acabamento interno tem revestimento em tecido e detalhes como a faixa macia no painel que imita carbono, cromados e vermelho. O modelo avaliado contava com opcionais como banco traseiro bipartido, cinto traseiro central retrátil de três pontos, regulagem de altura do banco do motorista, terceiro apoio de cabeça do banco traseiro, rádio integrado ao painel com entrada USB/AUX e Bluetooth, assistência de partida em rampa, controle eletrônico de tração e estabilidade, retrovisores externos elétricos com setas integradas e rebatimento automático no direito ao acionar a ré, entre outros.

Foto: Gilberto Leal

A jornalista e editora multimídia Priscila Nunes, que também dirigiu o Sporting, gostou da direção e destacou a praticidade do hatch. ¿Gosto de carros pequenos pois cabem em qualquer cantinho. Para estacionar, o Uno é ótimo¿.

Foto: Gilberto Leal

Conclusão: Bem equipado, o Uno Sporting avaliado atende quem busca um carro para o uso na cidade e eventuais viagens. Bom desempenho, ótimo consumo de combustível, espaço e conforto para o condutor e acompanhe na frente mas reduzido atrás fica limitado pelas próprias características de um hatch compacto. 


Foto: Priscila Nunes/Especial


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.