Test-drive

Nova Nissan Frontier LE 2017, mais potência, conforto e tecnologia

Em versão única, picape média importada do México ficou mais leve e traz recursos eletrônicos que auxiliam a condução

Por: Gilberto Leal
11/05/2017 - 09h00min | Atualizada em 11/05/2017 - 16h12min


Projetada para quem precisa de um veículo para o uso diário na cidade, viagens e trabalho pesado,a 12ª geração da Frontier ficou mais leve, ganhou  agilidade, segurança e recursos eletrônicos. A picape média montada em Aguascalientes, no México, traz novo conjunto propulsor e mantém a tradição de força e robustez para enfrentar qualquer terreno. A Nissan Frontier LE custa a partir de R$ 166.700.

Na estrada de terra batida, a nova suspensão traseira faz a diferença Foto: Priscila Nunes/Especial

Como novidade a Frontier traz os bancos Gravidade Zero, inspirados na tecnologia desenvolvida pela NASA para eliminar a fadiga e melhorar o conforto para o condutor. Nos 700 quilômetros rodados em Porto Alegre e no litoral gaúcho,  o desempenho da Frontier lembrou um carro de passeio no asfalto que absorve relativamente bem irregularidades do pavimento  e das estradas de terra batida. 

Visual robusto, generosas caixas das rodas e caçamba para 805 litros Foto: Priscila Nunes/Especial

O visual robusto é marcado por vincos. A frente remete à assinatura da marca com a ampla grade cromada separando os faróis de LEDs em forma de bumerangue. O uso de aço de alta resistência deixou a estrutura da picape cerca de 170 quilos mais leve e também mais resistente

O motor diesel biturbo 2.3 16 V gera 190 cv e atua com o câmbio automático de sete velocidades Foto: Priscila Nunes/Especial

O novo conjunto propulsor atende as necessidades da Frontier com os 190 cv e força (torque) de 45,9 kgfm do motor 2.3 16V biturbo distribuídos pelo câmbio automático de sete velocidades e a tração integral. O funcionamento dos dois turbos, um de baixa e outro de alta pressão, garantem rápidas arrancadas e retomadas de velocidade ou quando a picape precisa de força. Na estrada em velocidade constante, funciona o turbo de baixa pressão reduzindo o consumo de combustível. 

Consumo de combustível compatível com as características de picape que pesa quase duas toneladas Foto: Priscila Nunes/Especial

 Na cidade, a Frontier fez médias de 8,1 km/l a 9,6 km/l, melhor do que os 8,9 km/l de diesel indicados pelo Programa de Etiquetagem do Inmetro. Na estrada, em velocidade constante de 80 km/l, as médias ficaram entre 10,9 km/l a 13,1 km/l, enquanto a 110 km/l, variaram de 11,4 km/l a 12,7 km/l, também melhores do que os 10,1 km/l indicados pelo Inmetro. 

Frontier rodou tranquila por estradas vicinais da Zona Sul de Porto Alegre Foto: Priscila Nunes/Especial

A suspensão traseira com eixo rígido, cinco pontos de apoio e molas helicoidais (ao invés de feixes de mola), que a Nissan define como multilink, melhorou o comportamento. A picape sente menos as irregulares do pavimento e, nas curvas reduziu a sensação de flutuação do veículo em velocidades mais elevadas. Os pneus 255/70 R16 ajudam no conforto e melhor estabilidade. Recursos eletrônicos auxiliam a condução e aumentam a segurança como os controles de estabilidade, tração e frenagem, assistência de frenagem, partida e descida em rampa.

Visual robusto, conjunto propulsor adequado e recursos eletrônicos que auxiliam a condução Foto: Gilberto Leal

O acabamento interno combina couro com detalhes cromados. A cabine maior em relação ao modelo anterior com entre eixos de 3,15 metros acomoda bem cinco ocupantes. Os bancos dianteiros, o do condutor com ajustes elétricos, contam com aquecimento em dois níveis. Partida por botão e volante multifuncional, o ar-condicionado digital de duas zonas tem saídas traseiras. O quadro de instrumentos conta mostradores analógicos e tela TFT que permite a visualização de diversas informações. A central multimídia Nissan Multi-App com 2 GB para de memória conta com tela de 6,2 polegadas sensível ao toque, navegador por GPS, imagem da câmera de ré, rádio AM/FM, entradas para cartão de SD, USB, viva-voz Bluetooth e conexão para iPod. De sobra cinco suportes para copos e 11 porta-objetos.

Sensação de segurança elimina o medo de dirigir na estrada Foto: Gilberto Leal

Para a jornalista Priscila Nunes, dirigir a Frontier é não ter medo da estrada. Ela destaca a sensação de segurança que as picapes como a Nissan transmitem, motivo que atrai as mulheres. 

- Queríamos chegar até o bairro de Lageado, localizado na Zona Sul de Porto Alegre. Rodamos com o GPS nos orientando o tempo inteiro. Sem esse instrumento, estaríamos perdidos. Enfim, voltamos naquela estradinha simpática e bonita, na qual gostamos de fotografar e fazer vídeos. O resultado foi compensador -.

O interior da nova Frontier chamou a atenção da jornalista pelo espaço amplo para os passageiros. Também pelo acabamento do painel, dos bancos e da forração das portas com materiais de qualidade.

 - O design da Frontier é único e reconhecido de longe. A caçamba é uma opção útil para levarmos mais bagagens ou até móveis da casa -. 

Um utilitário para todos os momentos com comportamento que lembra um carro de passeio Foto: Priscila Nunes/Especial

Conclusão: A nova Frontier foi projetada para o uso diário, viagens e trabalho pesado no pavimento regular ou em qualquer terreno. O conjunto propulsor e a suspensão atendem a proposta que remete ao comportamento de um carro de passeio com preço compatível pelo que oferece. 

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.