Na estrada

Teste com a Africa Twin para assistir ao MotoGP

Reportagem do Teu Veículo percorrerá aproximadamente 6 mil quilômetros para mostrar como se comporta a bigtrail japonesa

07/04/2017 - 09h00min | Atualizada em 07/04/2017 - 11h03min
Teste com a Africa Twin para assistir ao MotoGP Renato Gava/Arquivo pessoal
Dupla rodará até a Argentina como o modelo Foto: Renato Gava / Arquivo pessoal  

Uma das motos mais icônicas de todos os tempos e que acaba de retornar "à vida" passará por um teste internacional. Com a Honda Africa Twin, a reportagem deixa esta semana Porto Alegre com destino a Termas do Rio Hondo, no Norte da Argentina, onde no domingo acompanhará a segunda etapa do MotoGP. Quem participa do teste é o experiente motociclista Humberto Lague. Ele e o jornalista Renato Gava percorrerão cerca de 6 mil quilômetros (ida e volta) para mostrar como se comporta a bigtrail japonesa.

— Ainda é cedo para falar, mas logo de cara ela parece tão prazerosa quanto à antiga Àfrica Twin — comenta Lague, dois dias após pegar o modelo e ainda antes de pegar a estrada.

O ex-piloto de motocross havia conduzido uma em 1999. Mas a história da Africa Twin começou 13 anos antes. Em 1986, disposta a dominar o Rali Dakar, a Honda desenvolveu o protótipo NHR 750V, base do veículo que ganhou a competição por quatro anos seguidos. Com o sucesso na competição, ainda em 1988 a fábrica levou para as ruas o modelo, mas com algumas alterações — a maior dela é a potência do motor, que tinha 650cc e 57 cavalos de potência.

Já em 1990, a Africa Twin virou 750cc para igualar-se à maior rival, a Yamaha Ténéré 750, e passou a ter 62 cavalos. Porém, enquanto uma apenas mirava a outra, veio a austríaca KTM e, apostando em um chassi bem diferente e numa entrega de torque mais rápida, atropelou as duas japonesas. A Honda produziu a Africa Twin até 2003. Desde então, o nome ficou na mente de muitos aventureiros, sobretudo os que viram o francês Cyril Neveu patrolar os concorrentes no Dakar com o veículo.

Eis que, em 2016, a Honda resolve reaproveitar o renome de sua bigtrail. O modelo apresentado no Brasil no ano passado tem algumas semelhanças com o de quase 30 anos antes. A posição do piloto é semelhante, o motor permanece bicilíndrico e a roda da frente mantém as 21 polegadas. Mas a nova Africa Twin, agora com 1000cc, tem a seu favor a tecnologia. O carburador deu lugar à injeção eletrônica, e os freios agora têm ABS. São 90,2cv a 7.500rpm, com torque de 9,3kgf.m a 6.000rpm. Lançada com preços entre R$ 64 mil e R$ 74 mil (versão com dois baús laterais e um traseiro), a Africa Twin hoje teve alguma redução de preços e é comum, em concessionárias, ser vendida abaixo dos R$ 60 mil.

Roteiro internacional

Os motociclistas deixarão o Brasil por Uruguaiana, ingressando na Argentina. De lá, seguem pelo território argentino pela Ruta 123 e passarão por cidades como Mercedes e San Roque antes de chegarem a Santiago Del Estero e, finalmente, Termas do Rio Hondo. A volta inclui trechos de rípio (tipo de piso) e passará mais ao Sul do país. O tanque de 18,8 litros é certeza de boa autonomia, mas o teste servirá para apontar o consumo real da moto em várias formas de condução.

A prova em Rio Hondo atrai fãs de duas rodas de todos os lugares. A reportagem mostrará curiosidades da prova. Durante a semana, conteúdos exclusivos serão publicados no Teu Veículo. Basta entrar no site www.zerohora.com.br, clicar em Vida e Estilo e, depois, em Veículos.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.