Cidreira

Bombeiros combatem incêndio em vegetação no Litoral Norte

Fumaça já pode ser vista em várias praias da região; fogo começou no domingo 

Por: Bruna Vargas - de Tramandaí e Bruna Scirea - de Capão da Canoa
06/02/2017 - 18h03min | Atualizada em 06/02/2017 - 22h48min

Um incêndio de grandes proporções atinge desde ontem uma área de reflorestamento próxima a lagoa da Fortaleza, em Cidreira, no Litoral Norte. A espessa nuvem de fumaça provocada pela queima das árvores se espalha desde o local e vai em direção ao mar, sendo vista desde praias como Imbé e Tramandaí – a cerca de 30 quilômetros do local.

O fogo começou na tarde de domingo, possivelmente em uma vegetação de pinos. A causa está sendo investigada. Ainda no domingo, o fogo chegou a diminuir, mas voltou a se intensificar e se alastrou nesta segunda.

O dia foi de susto e perdas para trabalhadores e donos de propriedade rurais de Cidreira, onde teve início o incêndio. Responsável por puxar água para o canal de irrigação de lavouras de arroz localizado na Estrada da Fortaleza, Luiz Fernando Pires de Oliveira conversava com a  esposa em frente à casa onde trabalha na temporada, diante do reservatório, quando tomou a decisão de contatar seu chefe para deixar o local.

Leia mais:
Mortes e pânico: queda de avião à beira-mar de Tramandaí completa 50 anos

— Estávamos sentados na rua e vimos o fogo de um lado (do canal), e daqui a pouco já tinha se estendido até o outro — lembra.

Por volta das 17h30min, o técnico agrícola Edelson Peixoto deslocou-se do município para buscar o funcionário e sua família. Trabalhador responsável por lavouras de arroz da região há quase três décadas, impressionou-se ao ver a proporção do incêndio.

— Ontem parecia controlado, mas hoje o vento virou e ficamos preocupados. Nunca achei que o fogo fosse passar pelo canal d¿água — relata.

Morador de Cidreira, José Jesus Neto Pires, 65 anos, foi até o canal depois de uma tentativa frustrada de chegar à propriedade do filho, onde 18 hectares de pinus foram atingidos pelas chamas. Avisado do ocorrido pelos funcionários que extraíam resina no local, ele conta não saber o que restou de sua área, mas estima um prejuízo de cerca de R$ 100 mil.

— Não sei o que vamos fazer com o pinus. De certo, as árvores nem vão prestar mais. Amanhã vou ver como ficou o estrago.

Fumaça é vista da beira da praia de Tramandaí Foto: Lauro Alves / Agência RBS

A corporação não sabe precisar o tamanho da região atingida pelo fogo. Uma equipe está no local fazendo a avaliação da área, e não está descartado o uso de helicóptero - do modelo capaz de carregar água - para apagar as chamas. Não há feridos.

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.