Ensino Superior

Universidade do Rio de Janeiro desiste de implantar curso de Medicina em Ijuí 

Pertencente ao Grupo Estácio, Uniseb alegou razões técnicas, financeiras, acadêmicas e logísticas para não assinar o termo de compromisso com o MEC

25/10/2016 - 13h25min | Atualizada em 25/10/2016 - 15h03min

Escolhida como mantenedora para o novo curso de Medicina a ser instalado em Ijuí, no noroeste do Estado, a União dos Cursos Superiores SEB (Uniseb) não apresentou as garantias bancárias exigidas pelo Ministério da Educação (MEC) e foi excluída do processo. Ainda não há definição sobre uma eventual substituição por outra universidade.

Pertencente ao Grupo Estácio, do Rio de Janeiro, a Uniseb manifestou-se oficialmente sobre o motivo da desistência por meio de nota oficial. "A Estácio esclarece que, considerando o tempo decorrido entre a expectativa inicial da divulgação do resultado e a sua efetiva divulgação, e por outras razões avaliadas – técnicas, financeiras, acadêmicas e logísticas –, concluiu que a operação não apresentaria as condições que garantiriam a viabilidade mínima e a oferta do curso com as condições de alta qualidade que caracterizam o padrão da instituição. Assim sendo, a Estácio comunica que optou por não seguir adiante no processo, e assim não assinar o termo de compromisso, etapa subsequente do Edital Mais Médico para ofertar o curso de Medicina", diz o comunicado.

Leia mais:
Conheça os temas que mais apareceram nas edições do Enem entre 2009 e 2015
Positivo estuda compras de escolas no Rio Grande do Sul

Em setembro, o ministério selecionou 37 instituições de Ensino Superior em 10 Estados para ofertar 2.355 vagas para a formação de médicos em novos cursos. Os municípios contemplados têm população superior a 70 mil habitantes e ainda não contam com formação em Medicina, pré-requisitos estabelecidos pelo MEC.

Previsto para operar já no começo de 2017, o curso de Medicina de Ijuí deveria oferecer 50 vagas. No entanto, segundo o MEC, não houve propostas classificadas para assumir o lugar da selecionada em caso de desistência.

Contrário desde o início à escolha da Uniseb, o deputado federal Darcísio Perondi (PMDB) chegou a criticar duramente a decisão inicial do MEC, que repassava à instituição carioca o direito de manutenção do novo curso em Ijuí:

— Foi um ET que aterrissou no planeta Terra. A Uniseb não tem vinculação nenhuma com a cidade, com a região. Não tem hospital. É inconcebível a universidade da região não ter sido escolhida — afirmou.

Com a desistência da Uniseb, Perondi afirma que a Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí) torna-se a principal alternativa para a instalação do curso na cidade:

— É uma universidade consagrada, ganhou nota 10 no primeiro edital, tem história na área da saúde. Ijuí tem um dos 10 maiores hospitais filantrópicos do Estado, o Hospital de Caridade, que tem um corpo clínico extraordinário — avaliou.

Agora, o MEC tem 90 dias para finalizar o processo seletivo para a nova mantenedora em Ijuí. Há duas alternativas. A primeira seria avaliar a estrutura da Unijuí para que a universidade possa fazer uma oferta direta ao MEC para a abertura do novo curso. A segunda seria a abertura de um novo edital somente em Ijuí. Nesse caso, a Unijuí já anunciou oficialmente que irá se habilitar à disputa.

O reitor da instituição, Martinho Luís Kelm, conta que desde o início houve uma mobilização por parte da universidade e de lideranças locais e regionais para que Ijuí fosse um dos municípios escolhidos. Segundo ele, a Unijuí sempre esteve apta a oferecer o curso, sendo classificada em primeiro lugar na etapa inicial do processo, mas desclassificada na segunda etapa, quando critérios do edital foram alterados.

— A Unijuí está e sempre esteve preparada para a oferta do curso de Medicina. Poderíamos estar pensando em uma possibilidade de, no Vestibular de Inverno de 2017, já termos a oferta na Unijuí, mas estamos trabalhando em conjecturas — afirmou Kelm.

Confira a íntegra da nota oficial da Estácio/Uniseb:

"Fundada há 46 anos, a Estácio, um dos maiores e mais tradicionais grupos de Ensino Superior privado do país,  com mais de 500 mil alunos matriculados e mais de 9 mil professores em 22 Estados e no Distrito Federal, oferece cursos presenciais e a distância de graduação tradicional e tecnológica, pós-graduação, cinco mestrados e três doutorados, sempre com elevados conceitos de qualidade reconhecidos pelo Ministério da Educação. Sobre os indicadores acadêmicos e a experiência na oferta de cursos de Medicina, deve-se destacar que as instituições do grupo Estácio ofertam cursos de Medicina em três municípios no Brasil com desempenho acadêmico destacado, sendo a Estácio hoje o grupo de Educação Superior com o maior número de alunos de Medicina no Brasil. Essa competência e experiência também se evidenciam na pós-graduação, com destaque para o mestrado em Saúde da Família, ofertado no Rio de Janeiro. Corroborando sua excelência na oferta do ensino médico, a Estácio conquistou, por meio do edital do Programa Mais Médicos – publicado no final de 2014 e com resultado final publicado em outubro de 2016 – o direito de ofertar um novo curso de Medicina em Ijuí, no Rio Grande do Sul.  A Estácio esclarece que, considerando o tempo decorrido entre a expectativa inicial da divulgação do resultado e a sua efetiva divulgação, e por outras razões avaliadas – técnicas, financeiras, acadêmicas e logísticas –, concluiu que a operação não apresentaria as condições que garantiriam a viabilidade mínima e a oferta do curso com as condições de alta qualidade que caracterizam o padrão da instituição. Assim sendo, a Estácio comunica que optou por não seguir adiante no processo, e assim não assinar o Termo de Compromisso, etapa subsequente do Edital Mais Médico para ofertar o curso de Medicina."

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.