Partiu RS

Passeio em vilarejo de Casca, no norte gaúcho, remete ao passado

Local reserva belas paisagens e muita história aos visitantes

Por: Francieli Alonso
09/01/2017 - 17h30min | Atualizada em 09/01/2017 - 17h30min
Passeio em vilarejo de Casca, no norte gaúcho, remete ao passado Marciano Giuriatti/Divulgação
Foto: Marciano Giuriatti / Divulgação  

É no norte gaúcho que fica um lugarejo simples e com costumes antigos preservados. O Partiu RS vai a Casca para retornar ao passado, conferindo belas paisagens e história. Tudo ligado à cultura italiana. Andiamo?

Quem sai de Porto Alegre viaja 230 quilômetros até a Vila Histórica de Evangelista. Após aproximadamente três horas, é preciso pegar o acesso de cerca de mil metros por uma estrada de chão batido que leva ao nosso destino, que tem pouco mais de 120 moradores. Os ares de interior estão em todos os detalhes, do ninho de quero-quero à carroça puxada por trator.

Leia mais:
Outras reportagens do Partiu RS
Recortes de Viagem: Dia de lembrar o Terno de Reis

Colonizada no início do século 20 por imigrantes italianos, a localidade mantém uma construção de 1903, sua mais antiga casa. Um museu com mais de 700 peças expõe roupas, fotos e móveis — tem de tudo um pouco. E a Casa do Imigrante, iniciativa da família Pinzetta, contou com a ajuda da comunidade para dar vida a um lugar que remonta ao passado.

— Pensamos em fazer um museu pequeno e, depois, quando vimos que ficou bonito, começamos a ampliar. Pegamos duas pessoas que passaram em todas as casas da região para conseguir esses objetos — afirma Eugênio Pinzetta.

As possibilidades de passeio incluem uma capela e uma gruta em meio à natureza, que antecede uma pequena cascata — conta-se que a gruta de Nossa Senhora das Graças foi construída por uma família da cidade após um milagre.

— É como se você fizesse um túnel do tempo. Volta-se cem anos para trás. Tanto pela paisagem quanto pela arquitetura, pela cultura das pessoas e pelos costumes — diz o guia Marciano Giuriatti.

Quem estava sentindo falta da gastronomia neste roteiro, não se preocupe: estamos falando de uma região de colonização italiana, logo, a comida é farta. Um restaurante com pratos típicos, por exemplo, cobra R$ 39 por pessoa.

Foto: Arte ZH


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.