Seu olhar

Leitores falam sobre suas experiências em Bonito, no Mato Grosso do Sul

Beleza é o que não falta nesta cidade do Mato Grosso do Sul, polo de ecoturismo no Brasil. A seguir, nossos leitores dão dicas do que ver por lá 

14/02/2017 - 17h26min | Atualizada em 14/02/2017 - 19h03min

Na seção Seu Olhar, os leitores do caderno Viagem compartilham suas experiências em destinos pelo mundo de acordo com desafios propostos por ZH semanalmente. Confira mais desafios.

Foto: arquivo pessoal / Arquivo Pessoal

Por Paulo Gaiger

E mais: muito, muito bonito, um lugar para não esquecer e, sempre que possível, voltar. A Gruta do Lago Azul, o balneário municipal, o parque ecológico do Rio Formoso, o Buraco das Araras, a Estância Mimosa, a flutuação no Rio da Prata, a Gruta de São Miguel são lugares e experiências belíssimos, entre tantos que se podem ver e ter.

A fauna e a flora surpreendem e encantam em cada canto que se visita. Na flutuação no Rio da Prata, por exemplo, vê-se muitos tipos de peixes, antas e jacarés, que parecem fazer parte do receptivo da cidade turística. Quase se deixam tocar (mas não se deve nem se pode).

Leia mais
Leitores dão dicas de atrações em Sydney, na Austrália
Montanhas rochosas canadenses, um cenário cinematográfico
Cruzeiro, mergulho e passeios diversos são boas opções no Caribe 

Na cidade e nos pontos de visitação, tudo funciona muito bem. Há uma política de preservação e de cuidados com a natureza difíceis de encontrar em outros lugares do Brasil. É um grande aprendizado. O ideal é já chegar a Bonito com os passeios agendados, porque o fluxo de turistas é bastante grande e, felizmente, há um limite de visitantes para cada lugar em cada dia. Recomendo não mais de dois passeios por dia. O balneário, a Estância Mimosa, o parque ecológico e a flutuação tomam o dia todo entre o deslocamento, a experiência e o êxtase.

Para quem gosta de encerrar o dia comendo bem, Bonito tem uma cozinha extraordinária e ao alcance do bolso. A cidade é limpa, simples e segura. Nosso filho, Júlio, andava sozinho à noite, em bicicleta ou a pé, enquanto Fabi e eu saboreávamos um bom vinho repassando o lindo dia.

O mergulho no Rio Formoso é ímpar: um instrutor atencioso, água cristalina e riquíssima fauna aquática. É um ótimo lugar para iniciantes. Queremos voltar!

Perfil: Paulo Gaiger, 57 anos, é professor universitário em Pelotas.

Foto: arquivo pessoal / Arquivo Pessoal

"No Carnaval de 2016, três amigos e eu resolvemos sair de carro de Porto Alegre para Bonito. A viagem durou em torno de 24 horas. Queríamos conhecer os famosos rios com águas transparentes. Fizemos, então, o passeio na Nascente Azul (foto). Um lugar incrível, com um lago com água esverdeada onde se pode nadar ao lado de cardumes de peixes, fazer tirolesa e andar de caiaque. O local também tem estrutura para almoçar e relaxar em redes sob as árvores."

Diego Almeida
De Porto Alegre, em fevereiro de 2016

Foto: arquivo pessoal / Arquivo Pessoal

"Casais felizes se aventuram juntos. E aventura não falta em Bonito. Seja pelo divertidíssimo boia cross no Parque Ecológico Rio Formoso, pelo desafiador rapel na Fazenda Boca da Onça ou por um gelado e revigorante banho nas cachoeiras da Estância Formosa."

Gustavo Diefenthaeler Filho e Fernanda Lottermann
De Porto Alegre, em junho de 2016

Foto: arquivo pessoal / Arquivo Pessoal

"Bonito. Realmente o nome da cidade e arredores não poderia ser outro. Fomos conhecer e conferir as belezas do lugar nesta virada de ano e voltamos maravilhados com a natureza. Entre os vários locais percorridos, a Gruta da Lagoa Azul superou as expectativas, quando, após a descida por uma escadaria de 294 degraus, a lagoa de 80 metros de profundidade surgiu iluminada pelo sol."

Julio e Sylvia Cabral
De Porto Alegre, em dezembro de 2016


 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.