#PartiuRS

Rota Romântica conduz o viajante por atrações em 14 cidades gaúchas

Percorremos a bela estrada para encontrar atrações que agradam ao olhar e ao paladar

Por: Tiago Guedes
17/07/2017 - 19h01min | Atualizada em 17/07/2017 - 19h02min
Rota Romântica conduz o viajante por atrações em 14 cidades gaúchas Sabrina Schuster/Divulgação
Foto: Sabrina Schuster / Divulgação  

Quatorze municípios, diferentes estradas e algumas características em comum, uma delas visível: as folhas dos plátanos no chão. Outra só se pode sentir — são os ares germânicos. É a Rota Romântica, que começa na BR-116, em São Leopoldo, e se espalha por diferentes caminhos em direção à Serra. Nossa equipe conheceu um pouquinho de algumas dessas cidades no final de junho.

Assim que pegamos a estrada, pedimos a bênção para seguir viagem no Santuário das Mães, em Novo Hamburgo. Lá do alto, dá para ver toda a cidade. Mas é quando a rodovia fica com pista simples, ali por Ivoti, que o caminho começa a fazer jus ao nome. A rota é sinalizada por placas, com mapas em formato de folha de plátano. E foram eles — perdendo as folhas, com a chegada do inverno — que nos guiaram.

Leia também
Conheça as atrações de Nova Petrópolis, o "Jardim da Serra Gaúcha"
Dicas para curtir o inverno em Gramado, Canela e Nova Petrópolis

Confira as atrações do Estação Gramado

Já na subidinha da Serra, em Morro Reuter, há um mirante de onde se avista a cidade vizinha, Dois Irmãos.

— Tem que parar sempre na estrada, porque a paisagem é maravilhosa. Não é só o destino, já se vai o caminho inteiro aproveitando — diz a psicóloga Maiara Alves, que encontramos no mirante.

Foto: RBS TV / Agencia RBS

Deixamos um pouco a BR-116 e pegamos a RS-873, em direção a Santa Maria do Herval. No km 7, uma construção chamou a nossa atenção: o Museu Flávio Scholles, que guarda mais de mil obras do artista plástico. A casa foi construída em um ponto estratégico, no topo de um morro, 850 metros acima do nível do mar. Por isso, bem ao norte, conseguimos enxergar os prédios mais altos de Caxias do Sul. Olhando pela janela que fica ao sul, é possível enxergar Porto Alegre e toda a Região Metropolitana com nitidez.

— Minha ideia era ter um lugar onde eu visse Caxias e Porto Alegre. Quatorze dias depois de eu ter desistido, magicamente apareceu esse local, mais bonito do que tinha imaginado, encostado na vila onde nasci. O formato (de cruz) é para os ETs não errarem o alvo — provoca Scholles.

Foto: RBS TV / Agencia RBS

De volta à estradinha, que é cheia de ateliês e restaurantes, escolhemos o El Paradiso para almoçar. A espera — que é grande — fica um pouco mais fácil em uma área verde com chafariz e piscina. Já as crianças brincam com os coelhos e alimentam as galinhas e os perus.

O bufê tem comida típica alemã, brasileira e italiana, com carnes passando nas mesas, a R$ 68. Como o restaurante fica aberto das 10h30min às 17h, o visitante pode comer, dar uma passeada, e depois voltar e comer mais.

— A propriedade era dos meus avós. A minha mãe teve a ideia do restaurante, quando eu era bem pequeno ainda, em uma estrada de chão. No início, eram cinco, 10 almoços no fim de semana. Hoje, a média é de 500 nos dias bonitos — conta o gerente, Marco Alves.

Leia todas as matérias da série #PartiuRS

Nos fundos, há uma pequena trilha que leva a mais um mirante, com uma vista incrível. De lá, dá para avistar o morro de Dois Irmãos e a Região Metropolitana — Novo Hamburgo, o Guaíba e Porto Alegre — entre as nuvens.

Depois de almoçar e curtir a vista, hora de seguir viagem pela BR-116. Da estrada mesmo é possível ver o Parque Histórico Jorge Kuhn, em Picada Café, lugar perfeito para fazer uma pausa de pelo menos uma hora. O local era propriedade de um alemão que veio ao Brasil no início do século passado e construiu uma grande agroindústria. Há pouco mais de 10 anos, a prefeitura comprou toda a área e a transformou em um parque. Uma das atrações é o antigo moinho — hoje desativado, ainda tem o prédio muito bem conservado.

Foto: Paula Fiori / Divulgação

Pelo parque, há outros prédios históricos, como o Museu do Açougue e armazéns da época da colonização. Por lá, encontramos a dona Loreci Bulke fazendo pães e cucas no forno à lenha.

— Tudo receita antiga, que eu aprendi com a minha mãe — diz a agricultora.

Do forno, a produção vai direto para uma banquinha que vende produtos coloniais. O parque abre todos os dias, mas a venda dos quitutes ocorre só em sábados, domingos e feriados.

Dali, fomos conferir uma dica dos moradores: o Morro do Vento, uma propriedade privada com vista para o vale do Rio Cadeia. O local foi criado para a prática do voo livre — um salto custa R$ 250 —, mas virou um ponto turístico de Picada Café. Por lá, curtimos o pôr do sol com um piquenique de cucas.

Quem faz parte

Localizada da planície do Vale do Sinos até o planalto da Serra Gaúcha, a Rota Romântica contempla os seguintes municípios: São Leopoldo, Novo Hamburgo, Estância Velha, Ivoti, Dois Irmãos, Morro Reuter, Santa Maria do Herval, Presidente Lucena, Linha Nova, Picada Café, Nova Petrópolis, Gramado, Canela e São Francisco de Paula.

Foto: divulgação / Divulgação

Calendário de eventos

Abaixo, confira alguns eventos que serão realizados nos próximos meses na Rota Romântica. Mais informações podem ser obtidas no site rotaromantica.com.br

NOVO HAMBURGO

Caminhada Turística Rural de Lomba Grande

Em 5 de agosto, o município realizará o passeio com saída às 8h30min, do Receptivo Turístico (Rua Lima e Silva, 333 — Centro). O trajeto de 12 quilômetros passará pelo limite de Novo Hamburgo com o município de Gravataí, na localidade de Morro dos Bois, e inclui quatro paradas: Igreja Santo Antônio e cemitério, em uma propriedade rural que se dedica à plantação e comercialização de bonsais; Balneário Taimbé; e Sítio Green Fields, com almoço opcional a R$ 25. O cardápio inclui galeto, polenta, arroz, maionese, massa, aipim e saladas — os alimentos são produzidos no próprio sítio ou em vizinhos.

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail turismo@novohamburgo.rs.gov.br ou pelos telefones (51) 3527-1692 e (51) 99748-0849.  

Outras datas: 7 de outubro e 2 de dezembro.

PICADA CAFÉ

8ª Festa do Café, Cuca e Linguiça

Marcado para os dias 5, 6, 12 e 13 de agosto, o evento tem na gastronomia seu carro-chefe. Nos pavilhões do Parque Jorge Kuhn, expositores comercializarão inúmeras delícias, como cucas, pães, roscas, pretzel, linguiças, salames e queijos. Para quem quiser degustar os quitutes no local, haverá café colonial e almoço típico. A cultura alemã estará representada por bandinhas típicas, grupos de danças e jogos germânicos.

NOVA PETRÓPOLIS

12º Kerb im Tannenwald

Iniciado de uma forma humilde em setembro de 2006, o Kerb im Tannenwald remonta à tradição dos antepassados alemães, com shows musicais, desfile, apresentações artístico-culturais e competição de jogos germânicos. Neste ano, será realizada nos dias 16 e 17 de setembro.

7º Festival da Primavera — Frühlingsfest
De 20 de setembro a 1º de outubro, a Rua Coberta se transforma numa grande feira de jardinagem e paisagismo. Na programação, estão eventos técnicos, concurso de fotografia, parada das flores, visitações a jardins urbanos e rurais, oficinas gastronômicas de flores comestíveis e shows musicais.

ESTÂNCIA VELHA

Feira Estadual do Artesanato Gaúcho
-Nos dias 12 e 13 de agosto, a feira deverá reunir mais de 50 expositores de artesanato de todas as partes do Rio Grande do Sul, na Praça 1º de Maio e no Pavilhão de Atividades Culturais Renato Enio Trein, no Centro. Terá entrada franca e será realizada juntamente com a Maratona Cultural e Solidária, evento multicultural com apresentações culturais e artísticas, incluindo dança, teatro, shows musicais, folclore e corais.

IVOTI

Foto: RBS TV / Agencia RBS

Kolonistenfest
A Kolonistenfest ou Festa do Colono será realizada em 22 e 23 de julho, valorizando o trabalho, a arte e os costumes dos imigrantes alemães, além de promover a integração das comunidades da zona rural e urbana do município. A festa conta com os Jogos Rurais no sábado e o desfile festivo na avenida Presidente Lucena no domingo, do qual representantes de cada localidade participam, com tratores e caminhões enfeitados com alimentos que produzem. Os visitantes são recepcionados junto ao Núcleo de Casas Enxaimel pelo Kolonistenpaar, casal símbolo dos festejos, que é escolhido na localidade homenageada.

Feira das Flores
O evento é realizado anualmente no mês de outubro (neste ano, nos dias 21, 22, 28 e 29), com o objetivo de valorizar o hábito preservado pelos moradores da cidade de cultivar jardins em frente às suas casas, reforçando a identidade de Ivoti como Cidade das Flores. A feira reúne mais de 90 expositores, que oferecem, além de flores, insumos para jardinagem, plantas para ornamentação, produtos coloniais, artesanato e itens de indústria e comércio. Bandinhas típicas, praça de alimentação e uma diversa programação cultural estão entre os destaques.

Feira Colonial
Criada em 2008, é realizada no segundo domingo de cada mês, no Núcleo de Casas Enxaimel da Feitoria Nova. O visitante encontra produtos coloniais, agroecológicos e flores. Próximas datas: 13 de agosto, 10 de setembro, 8 de outubro, 12 de novembro e 10 de dezembro.

Feira da Colônia Japonesa
A cultura oriental é exaltada no último domingo do mês, na Colônia Japonesa de Ivoti (Rua Sakura, 1.353). Sushi, yakisoba, peixe assado na taquara, doces japoneses, frutas, flores, produtos coloniais e artesanato típico são algumas das opções para os visitantes, que podem estender sua visita até o Memorial da Colônia Japonesa. Próximas datas: 30 de julho, 27 de agosto, 24 de setembro, 29 de outubro e 26 de novembro. 

#PartiuRS é uma série multimídia que mostra as belezas do Estado. Além do ZH Viagem, a série pode ser acompanhada aos sábados, no Jornal do Almoço, da RBS TV, no Supersábado, da Rádio Gaúcha, e em um site especial no G1. A coordenação é de Mariana Pessin (mariana.pessin@rbstv.com.br)


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.