Dor crônica

Pesquisadores brasileiros desenvolvem analgésico de origem vegetal que pode ser usado contra o câncer

Composto da planta medicinal avelós, fitomedicamento tem efeito antinflamatório

25/04/2012 | 10h58

Uma equipe de pesquisadores do laboratório Kyolab e da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) vem estudando o uso do látex extraído da planta Europhorbia tirucalli, conhecida no Brasil como avelós, para o tratamento de dor aguda e até mesmo de câncer.

Estudos realizados com essa planta permitiram a identificação de uma nova substância com ação analgésica, cujos resultados indicam grande potencial para o tratamento da dor cônica. Esse novo composto, denominado AM11, está sendo desenvolvido com base em molécula isolada da planta medicinal avelós.

De acordo com o pesquisador Luiz Pianowski, as principais vantagens do novo analgésico são a longa duração do alívio e o baixo índice de efeitos adversos sobre os sistemas gastrointestinal e renal.

— O AM11 mostrou, em animais, ação analgésica semelhante ou superior a várias drogas analgésicas disponíveis no mercado para o tratamento da dor — garante Pianowski.

Na primeira fase dos estudos clínicos com humanos, pacientes com câncer relataram alívio da dor após o uso do fitomedicamento. Dados do estudo mostram que os mecanismos responsáveis pela ação analgésica e antinflamatória do AM11 estão associados à sua capacidade de interferir com a liberação de vários mediadores inflamatórios relevantes na etiologia da dor.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.