Versão mobile

Estado negocia com Ministério da Saúde alterações na política de vacinação contra gripe A em 2013

Expectativa é que número de doses fornecidas pelo governo passe de 2milhões para 4 milhões

05/07/2012 | 16h59

Com o quadro de 15 mortes confirmadas por gripe A no Estado, número que supera o total do ano passado, a Secretaria Estadual de Saúde negocia com o Ministério da Saúde para rever a política de vacinação. Segundo o secretário da Saúde do Estado, Ciro Simoni, o órgão sinaliza que haverá mudanças para 2013.

— Vamos vacinar mais cedo e um número maior de pessoas — resume Simoni.

Em mapa, veja as cidades que registraram óbitos em decorrência da gripe A desde 2009

O aumento de doses passaria de cerca de 2 milhões para 4 milhões. Ainda não se sabe quais serão os novos grupos com direito à prevenção, pois isso depende de uma análise do governo dos grupos vulneráveis que não estão cobertos atualmente. Hoje somente pessoas acima dos 60 anos, gestantes, crianças entre seis meses e menores de dois anos e doentes crônicos com prescrição médica têm direito à vacina.

— Talvez os adultos jovens, que já foram vítimas nesse ano, poderiam receber — especula Simoni.

Outro ponto será a antecipação do calendário. Neste ano, as doses começaram a ser aplicadas no dia 5 de maio. Para 2013, a ideia é antecipar o início da campanha para março ou, no máximo, abril, de acordo com Simoni.

Ele ainda reforça que até o final da próxima semana devem chegar ao Estado 500 mil doses, fruto da pressão exercida com Santa Catarina e Paraná junto ao Ministério da Saúde para remanejo das vacinas.

Tratamento e prevenção

O secretário Simoni ressalta à população que fique atenta aos sintomas de síndrome gripal (febre, dor de garganta e dores nas articulações, musculares ou de cabeça) e procure atendimento em unidades básicas de saúde.

A SES reforça as orientações para o uso do medicamento Oseltamivir no tratamento de síndromes gripais. A recomendação ressalta a importância em administrar o antiviral, de nome comercial Tamiflu, preferencialmente nas primeiras 48 horas do início dos sintomas. O uso do fármaco é uma das principais ações no combate do vírus Influenza H1N1, causador da Gripe A.

Para tornar mais ágil a solicitação do medicamento, a SES decidiu não mais exigir o preenchimento do formulário de dispensação, basta o médico utilizar o Receituário de Controle Especial.

Confira outros cuidados:

— higienizar as mãos com frequência;

— utilizar lenço descartável para higiene nasal;

— cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

— higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

— evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

— não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;

— evitar aperto de mãos, abraços e beijo social;

— reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível, ambientes com aglomeração;

— evitar visitas a hospitais;

— ventilar os ambientes.

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.