Atenção à beira-mar

Veja quais são os perigos da beira da praia e saiba como se proteger

Orla é ambiente propício para o desenvolvimento de algumas doenças

20/01/2013 | 09h01
Veja quais são os perigos da beira da praia e saiba como se proteger Alvarélio Kurossu/Agencia RBS
Beira da praia exige cuidados Foto: Alvarélio Kurossu / Agencia RBS

Destino preferido nas férias de verão, a praia também exige alguns cuidados, inclusive, como a alimentação e a hidratação constante. Com a exposição excessiva ao sol, é muito comum doenças como a insolação e a desidratação, além de afogamentos e queimaduras causadas por algas marinhas. O ambiente de praia também é favorável para a ocorrência de doenças transmissíveis: micoses, verminoses, infecções gastrointestinais e conjuntivite.

Os principais sintomas das micoses são manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele com coceira. Outra doença de pele é a Larva migrans cutanea, mais conhecida como Bicho Geográfico. Ela é causada pela penetração de larvas de vermes presentes na areia da praia eliminadas nas fezes de cachorros e gatos. As larvas infectantes deixam marcas parecidas com um mapa geográfico na pele devido a sua movimentação.

Cuidados
Para prevenir as doenças ou diminuir os riscos de contraí-las, é necessário que cuidados básicos sejam tomados.

— Observar o aspecto, a conservação e o transporte dos alimentos consumidos na praia
— Não frequente praias sinalizadas como impróprias para banho
— Evitar levar animais para a praias
— Mantenha o corpo e os pé secos
— Lave as roupas de banho após o uso
— Use chinelos de borracha para não manter o pé úmido
— Evite coçar os olhos. Caso necessário, lave bem as mãos antes
— Tome bastante água
— Evite exposição excessiva ao sol

Como tratar

Infecções gastrointestinais
Podem ser tratadas com hidratação e medicamentos. Casos mais graves podem exigir atendimento médico.

Doenças de pele
Não constituem urgência e devem ser tratadas em postos de saúde ou nos consultórios médicos. Para cada doença, existe um tratamento específico, feito por meio de cremes associados com medicamentos orais.

Queimadura e desidratação
Devem ser avaliados em unidades de pronto atendimento, principalmente quando acomete crianças menores de um ano e idosos.

Fonte: médico infectologista Marco Aurélio Góes

Atenção com os bebês

Se os adultos já sofrem com o sol forte as altas temperaturas de verão, bebês e crianças que têm pele mais sensível precisam de cuidado redobrado, alerta a médica Ana Elisa kiszewski, presidente do Comitê de Dermatologia Pediátrica da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul. Uma das situações mais comuns, segundo Ana Elisa kiszewski, são as brotoejas.

— Elas aparecem devido ao suor excessivo. Por isso, banhos rápidos, seguido do uso de pasta d'água no local afetado, ajudam a controlar o problema.

O calor potencializa o surgimento de uma série de doenças de pele. Na lista estão:

Miliária (brotoejas)
Piodermites (infecção bacteriana da pele)
Micoses (infecção fúngica)
Infecções virais (herpes, verruga e molusco contagioso)
Parasitoses (os populares como bicho de pé e bicho geográfico)
Queimaduras

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.