No prato

Lenice Zarth Carvalho: Foco no hábito, não em modismos

A expectativa de resultados rápidos pode levar a condutas alimentares desequilibradas

22/02/2014 | 07h31

Basta uma pessoa famosa adotar uma estratégia nutricional para um determinado fim que a ideia se dissemina rapidamente e vira moda. Se estudiosos descobrem propriedades nutricionais interessantes nas

frutas vermelhas, muitos passam a adotá-las em todas as refeições do dia, muitas vezes desprezando vários outros alimentos importantes.

O fato de uma fruta conter antioxidantes ou outros compostos bioativos não significa que vá fazer milagre, principalmente se você não mudar outros hábitos alimentares. Já foi assim com o chá verde, com a quinua, com a chia, o gojee berry, o suco verde e será assim com muitos outros alimentos.

Nenhum deles tem a capacidade, isoladamente, de curar ou prevenir doenças. O que é possível de ocorrer é que a inclusão de alimentos ricos nutricionalmente podem melhorar a oferta de substâncias antioxidantes, anti-inflamatórias, minerais e vitamínicas que, em conjunto, trazem diversos benefícios para quem os consome. Assim como algumas restrições de alimentos prejudiciais também colaboram com o processo.

Nossa saúde é consequência de hábitos, e não de exceções. Portanto ou você tem bons hábitos ou não tem! Nada adianta tentar mascarar um mau hábito com uma fruta milagrosa ou um dia de jejum etc.

Precisamos de nutrientes, não comer não é a solução. Deixar de comer só é válido quando falamos de alimentos não nutritivos e prejudiciais. Muitas vezes, a expectativa de resultados rápidos leva os indivíduos a condutas extremas e desequilibradas, além da compra de produtos caros que muitas vezes são mal utilizados. Como muitas vezes os resultados são frustrantes, esses alimentos caem em descrédito e, apesar de excelentes para a saúde, deixam de ser consumidos.

A menos que o indivíduo não tenha restrições, todos os alimentos citados acima, apenas como exemplos, poderiam ser incluídos em um plano alimentar saudável, sem excessos, com uso regular. Mas sem a expectativa de que a pele melhore ou que a hipertensão desapareça rapidamente apenas com esta conduta.

Sinto cada vez mais a necessidade de retrocedermos ao consumo de alimentos simples, não muito elaborados e não industrializados, se quisermos melhorar a oferta de nutrientes.

Dieta da moda? Normalmente é adotada no desespero de quem andou muito desregrado e hoje sofre as consequências indesejáveis e, obviamente quer resultado rápido. Sugiro que pensemos em resultados seguros e duradouros. Ou você acredita em milagres?

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.