Saúde do homem

Medicamento para câncer de próstata impede progressão da doença, diz estudo

Após 12 meses, 65% dos pacientes que tinham usado o medicamento não tiveram piora do câncer nos exames radiológicos dos ossos

13/08/2014 | 14h43
Medicamento para câncer de próstata impede progressão da doença, diz estudo Rogerio da Silva/Agencia RBS
Foto: Rogerio da Silva / Agencia RBS

Um inibidor hormonal de uso oral utilizado por pacientes com câncer de próstata impediu a progressão da doença, segundo pesquisa publicada pela revista New England Journal of Medicine. A Enzalutamida foi ingerida uma vez por dia após falha a tratamento com quimioterapia.

O estudo avaliou 1.717 pacientes com câncer de próstata já com doença avançada (com metástases) que receberam a enzalutamida ou placebo — comprimido sem nenhum princípio ativo, mas que simula o remédio. Foram avaliados vários desfechos, incluindo tempo para progressão do câncer de próstata nos ossos e sobrevida global dos pacientes.

Leia todas as notícias sobre saúde

Após 12 meses, 65% dos pacientes que tinham usado o medicamento não tiveram piora do câncer nos exames radiológicos dos ossos, enquanto somente 14% dos pacientes que usaram placebo tiveram mesma evolução. Um total de 626 pacientes (72%) no grupo que usou enzalutamida, comparado a 532 (63%) no grupo placebo, estava vivo (quase 30% na redução na mortalidade).

Outros resultados positivos foram descritos, como tempo para ocorrência de problemas ósseos como fratura e dor, assim como tempo para necessidade de iniciar quimioterapia, também favoreceram os pacientes que utilizaram o remédio.

Entenda:

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (fica atrás de câncer de pulmão). O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima 68,8 mil novos casos no Brasil neste ano. A região sul tem a pior estatística, com aproximadamente 90 casos novos para cada 100 mil homens.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.