Dieta

Possível ação hormonal da soja gera debate sobre seu consumo na infância

Consumo excessivo do grão poderia levar à puberdade precoce

Por: Camila Kosachenco
08/02/2016 - 04h04min
Possível ação hormonal da soja gera debate sobre seu consumo na infância freeimages/divulgação
Foto: freeimages / divulgação  

Entre as muitas preocupações que pais e mães têm em relação à alimentação de seus filhos, uma tem sido assunto frequente: a possibilidade de que o consumo excessivo de soja na infância leve à puberdade precoce. Segundo os especialistas, a hipótese não é descabida, mas ainda não se pode inocentar nem culpar o alimento.

A principal desconfiança está no fato de que a soja é rica em isoflavonas, substâncias que têm estrutura química similar aos hormônios femininos, os estrógenos. As isoflavonas seriam, então, reconhecidas pelo organismo como se fossem o estrógeno e desencadeariam a ação hormonal.

Leia também:
Quando o refluxo do bebê deve ser motivo de preocupação
Como escolher a roupa certa para a temperatura do corpo do bebê
Por que o ronco não pode ser considerado normal no sono das crianças

— Existe uma preocupação bastante grande de que uma exposição muito antecipada e em quantidade possa exercer um papel semelhante ao hormônio feminino, induzindo a casos de quadros de precocidade sexual — observa a endocrinologista pediátrica do Hospital Moinhos de Vento Cristiane Kopacek.

No entanto, ela reforça que os estudos sobre o tema são escassos. Uma pesquisa de grande repercussão, publicada nos Arquivos de Endocrinologia e Metabologia de 2007, analisou o caso de uma menina de quatro anos e nove meses que apresentou desenvolvimento dos tecidos mamários. Ao investigar a dieta da criança, foi constatado excesso no consumo diário de soja. Depois de reduzir essa quantidade, o volume das mamas da criança voltou ao esperado para a faixa etária.

De acordo com Cristiane, as poucas pesquisas existentes indicam uma possível associação entre o consumo excessivo de soja e desenvolvimento precoce da puberdade.

— Mas temos de lembrar que os organismos são diferentes. O que pode causar efeito para um pode não causar para outro — pondera a endocrinologista.

Para o presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, Durval Ribas Filho, faltam trabalhos científicos robustos que comprovem a ligação. O consumo moderado não teria força suficiente para provocar a aceleração da puberdade.

— Alguns estudos mostram que, se houver um consumo exagerado de soja entre crianças e adolescentes, as isoflavonas, por mimetizarem o estrogênio (hormônio feminino), poderiam favorecer essas alterações. Mas essa quantidade seria acima de 40mg a 50mg por dia. Isso seria equivalente a consumir em torno de três litros de suco de soja por dia, o que, na prática, é quase impossível — justifica o nutrólogo.

Diante da ausência de resultados conclusivos, a orientação é não proibir, mas moderar o consumo de produtos à base da soja na alimentação infantil:

— Os estudos classificam como mínimos os efeitos adversos para o crescimento infantil, sendo necessário ter atenção à idade da criança, pois a fórmula infantil à base de soja somente deve ser utilizada por crianças com mais de seis meses. É importante deixar claro que as famílias devem utilizar a soja conforme a prescrição do nutricionista ou médico — pontua a nutricionista infantil Ana Carolina Terrazzan.



 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.