Faz bem?

Bela Gil revela que comeu placenta após o parto. Saiba o que diz a ciência sobre a prática

Professor de Medicina afirma que ato faz parte da natureza dos mamíferos

Por: Camila Kosachenco
13/09/2016 - 11h00min | Atualizada em 13/09/2016 - 11h19min
Bela Gil revela que comeu placenta após o parto. Saiba o que diz a ciência sobre a prática Instagram/Reprodução
Foto: Instagram / Reprodução

Depois do churrasco de melancia e da pasta de dente de cúrcuma, Bela Gil protagonizou mais uma polêmica na internet. Em entrevista à revista Veja Rio, a apresentadora do programa Bela Cozinha, do canal GNT, afirmou que comeu a placenta depois de dar à luz o filho Nino, nascido em maio.

Ela disse, ainda, que ingeriu o órgão misturado com vitamina de banana, e que até Flor, a primogênita, bebeu o líquido. Embora reconheça que não há comprovação científica para a medida, Bela justificou:

Leia mais:
Cúrcuma para escovar os dentes? Saiba o que os dentistas acham da sugestão de Bela Gil

— É uma fonte incrível de nutrientes.

Conhecido como placentofagia, o ato não tem o aval da ciência. No ano passado, uma revisão de 10 estudos sobre o tema foi publicado pela Northwestern Medicine, dos Estados Unidos, no Archives of Women's Mental Health, e nenhum deles foi capaz de comprovar a eficácia da ingestão da placenta para redução da depressão pós-parto, redução de dor, aumento de energia e auxílio na lactação, alegações comuns de quem adere à prática.

Além de desconhecerem os benefícios da prática, pesquisadores alertam para os possíveis riscos.

— Não há regras que definam a forma que a placenta é armazenada ou preparada. As mulheres realmente não sabem o que estão ingerindo — disse a autora do levantamento norte-americano, Cynthia Coyle em nota oficial da universidade.

Apesar da discussão, o professor de obstetrícia da Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) Sérgio Luz afirma que a prática faz parte de um processo comum na natureza:

— Todos os mamíferos comem a placenta. No passado, certamente comíamos também, não somos diferentes. O órgão produz cinco mil vezes mais hormônios do que o ovário. Há uma produção de estrogênio, progesterona, lactogênio placentário, que é parecido com o hormônio do crescimento, entre outras coisas — explica.

— Eu não recomendo, mas a gente não pode dizer que é cientificamente errado. Não podemos condenar quem faz. É muito fácil falar mal, mas é uma coisa que a natureza provém — completa.

Comer a própria placenta não parece ser uma novidade no mundo das celebridades: Kim Kardashian transformou a sua em cápsulas, assim como a atriz de Mad Men, January Jones. A eterna patricinha de Beverly Hills, Alicia Silverstone também teria usado o recurso após o parto.

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.