Alimentação

Coco: conheça os benefícios da fruta e dos seus derivados para a saúde

Água, óleo, farinha e açúcar são algumas das apresentações mais comuns da fruta

Por: Camila Kosachenco
14/10/2016 - 11h26min | Atualizada em 14/10/2016 - 12h08min
Coco: conheça os benefícios da fruta e dos seus derivados para a saúde Stock.xchng/Divulgação
Foto: Stock.xchng / Divulgação

Uma fruta que é a cara do Brasil. Repleta de nutrientes, dela se aproveita da casca à polpa. Não por acaso, o coco foi alçado ao patamar de queridinho da alimentação saudável. Além de conter carboidrato, vitaminas e propriedades antioxidantes, o alimento é rico em ácido láurico, um componente fundamental para o sistema imunológico e que, além do coco, só é encontrado em grandes quantidades no leite materno.

Popularizado no país especialmente por sua água, muito nutritiva e hidratante, o coco virou matéria-prima para outros produtos que podem ser usados na cozinha e mesmo fora dela. Confira os principais benefícios da fruta e de seus derivados.

Fruta in natura
A polpa do coco é rica em gorduras boas que estimulam o HDL (colesterol bom), tem propriedades antioxidativas e pode beneficiar pessoas com problemas cardiovasculares, síndrome metabólica e diabetes. Além disso, fornece energia de forma rápida e dá sensação de saciedade.

— A combinação da água com a fibra solúvel provoca uma sensação de dilatação do estômago. O fruto é composto por mais de 10 tipos de ácido graxos, que têm ação sacietogênica — explica a nutróloga e diretora do Kurotel, Mariela Silveira.

Apesar de ser bastante calórica, a fruta pode ser consumida em pequenas porções ao longo do dia.

Água de coco

Foto: Marcos Porto / Agencia RBS


Hidratante e rica em nutrientes como potássio, sódio, cloro, potássio e fósforo, a água do coco é conhecida como um isotônico natural. Isso porque tem a capacidade de repor esses eletrólitos perdidos na prática esportiva e em casos de vômito e diarreia. Pode ser ingerida pura ou usada como base para sucos.

— Preferencialmente, deve-se tomar as naturais, que não sejam processadas ou aquecidas, para oferecer maior quantidade de antioxidantes — sugere a nutróloga.

Óleo de coco

Foto: Júlio Cordeiro / Agencia RBS


Bastante popular, o óleo de coco ganhou fama de emagrecer, mas esse título é discutível:

— Isto precisa ser analisado com cautela, não como modismo. Já foi visto que se ele simplesmente for adicionado a alimentação, sem que seja retirado qualquer outro ácido graxo (gordura ou óleo) do cardápio, não trará efeito benéfico para o peso. Entretanto, se houver substituição de pelo menos parte do total de gorduras utilizadas pelo óleo de coco então poderá ser útil no controle peso — comenta Mariela.

Sabe-se, porém, que ele ajuda a diminuir a fome e favorece o metabolismo.

— Recomenda-se que seja utilizado em pequenas quantidades e em preparações culinárias, preferencialmente compostas por alimentos in natura ou minimamente processados — orienta a nutricionista Débora Vargas.

O óleo de coco também sai na frente em relação às outras gorduras quando o assunto é estabilidade — isso significa que ele mantém suas propriedades mesmo quando é submetido a altas temperaturas.

Além de versátil na cozinha, ele também pode ser usado como cosmético ou remédio natural.

— O óleo de coco extravirgem pode ser aplicado externamente na pele em casos de candidíase, por exemplo, pois ajuda a equilibrar o pH e ter regulação antifúngica. Pesquisas mostram que ele também pode combater sintomas de dermatites, mas sua aplicação deve ser supervisionada por profissional da saúde — recomenda Mariela.

Ele pode ser usado ainda como hidratante corporal e capilar, demaquilante para pessoas que não têm pele oleosa, prevenção de assaduras em bebês e em queimaduras.

Farinha de coco
Uma boa substituta para a farinha de trigo e o amido de milho, a farinha do coco é uma opção livre de glúten — indicada para quem tem intolerância ou alergia à proteína — para preparações como pães, bolos e biscoitos. Sua composição se destaca pela grande quantidade de fibras, o que auxilia no controle da glicemia e facilita o trânsito intestinal.

Açúcar de coco
Considerada uma opção mais saudável em relação aos demais tipos de açúcar, o de coco é produzido a partir da seiva das flores do coqueiro e não passa por processos químicos.

— Ele é produzido de maneira rústica. O néctar das flores da palma é extraído e aquecido em uma caldeira. Dessa forma, é transformado em um caramelo espesso que é triturado em pequenos cristais — explica a nutricionista.

Ele contém as mesmas calorias que a versão refinada, mas oferece vitaminas e nutrientes, ao contrário do açúcar branco. Em sua composição destacam-se potássio, magnésio, zinco, ferro e vitaminas B1, B2, B3 e B6.

Leite de coco
Tem as mesmas propriedades da fruta e pode ser incluído no cardápio de pessoas com intolerância à lactose e alergia às proteínas do leite de vaca. Na cozinha, pode ser usado em receitas doces e salgadas.

— É um excelente substituto ao creme de leite em diversas receitas, como as que levam frutos do mar e peixes — diz Débora.

Para prepará-lo em casa, basta bater no liquidificador uma xícara da fruta com cinco xícaras de água quente. Depois, é preciso coar e guardar na geladeira. O resíduo pode ser aproveitado em outras preparações. 

 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.