Saúde

Variante genética pode explicar preferência por alimentos gordurosos

Estudo sugere que nossas preferências alimentares podem estar parcialmente pré-codificadas

Por: AFP
05/10/2016 - 11h05min
Variante genética pode explicar preferência por alimentos gordurosos Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Pessoas que têm uma variante de um gene ligado à obesidade preferem comidas ricas em gorduras, em comparação a pessoas sem esta variante, segundo um estudo publicado na terça-feira que sugere que as nossas preferências alimentares podem estar, finalmente, parcialmente pré-codificadas. Inesperadamente, os mesmos indivíduos tinham um paladar reduzido para o açúcar, de acordo com o estudo, publicado na revista científica Nature Communications

– Nosso trabalho mostra que, mesmo se você controlar firmemente a aparência e o sabor dos alimentos, o nosso cérebro pode detectar o teor dos nutrientes –, disse o coautor do estudo Sadaf Farooqi, da Universidade de Cambridge, cujos pesquisadores conduziram a pesquisa. 

Leia mais
Estudo mostra que "obesidade saudável" pode ser mito
Obesidade diminui expectativa de vida em até 10 anos, diz estudo
Ministro da Saúde defende parceria com o MEC para compra de merenda saudável

Farooqi e uma equipe testaram as preferências alimentares de 14 indivíduos obesos com variações raras no gene MC4R, e as compararam com as de pessoas magras e as de outras pessoas obesas sem a mutação. Os participantes receberam um buffet livre de frango korma, com um tipo de curry. Havia três pratos, diferentes apenas na sua contribuição de gordura para o conteúdo calórico total - 20%, 40% ou 60%. Os participantes não sabiam da diferença, e os pratos foram feitos para parecerem iguais. 

– Os pesquisadores descobriram que, embora os grupos não tenham mostrado diferenças em relação à quantidade de alimentos ingeridos, os indivíduos com a variante do MC4R comeram quase o dobro da quantidade de korma altamente rico em gordura do que os indivíduos magros (95% a mais) –, revelou a universidade. Eles também comeram 65% mais do korma de alto teor de gordura do que os outros indivíduos obesos sem a peculiaridade genética. 

Leia as últimas notícias

Em uma segunda parte do estudo, os participantes receberam uma sobremesa feita de morangos, chantilly e pedaços de merengue. Houve novamente três opções visualmente indistinguíveis, com o açúcar compreendendo 8%, 26% ou 54% do total de calorias. Os indivíduos com a variante do gene gostaram menos das sobremesas ricas em açúcar do que os outros, e comeram "significativamente menos" de todos os três tipos. 

– Uma em cada cem pessoas obesas têm um defeito no gene MC4R que os torna mais propensos a engordar –, disse o comunicado. "Para estes indivíduos", esta mutação os "levou a preferir alimentos ricos em gordura sem eles perceberem". Não ficou claro qual é a razão para a aversão ao açúcar nas pessoas com a variante. O MC4R é apenas um dos vários genes implicados na obesidade.


 






 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.