Saúde

Tratamento de alta precisão contra o câncer reduz o número de sessões de radioterapia 

Técnica é muito utilizada em tumores de próstata, mas pode ser empregada para câncer de mama, pulmão e cérebro 

14/04/2017 - 11h51min | Atualizada em 14/04/2017 - 11h51min

Reduzir pela metade o número de sessões de radioterapia e afetar ainda menos os órgãos próximos ao tumor são alguns dos objetivos do hiprofacionamento, técnica que aumenta a radiação e reduz a quantidade de radioterapias.

No Brasil, o Hospital do Câncer Mãe de Deus foi o primeiro a adotar a prática como rotina para todos os pacientes acometidos por câncer de próstata. Os pacientes são submetidos a exames diários de imagem para posicionar corretamente o alvo do tratamento.

Leia mais:
Painel nos EUA dá novas orientações sobre rastreamento do câncer de próstata

O hipofracionamento reduz pela metade o número de sessões de radioterapia. Um indivíduo com câncer de próstata, por exemplo, faz 20 sessões em vez de 40.

— É tendência mundial da radioterapia: tratamentos de alta precisão, com doses mais altas por aplicação, em períodos mais curtos — diz o radio-oncologista Fernando Obst, coordenador do setor no Mãe de Deus.

Seguindo protocolos internacionais, o método já é empregado pela instituição no combate ao câncer de mama, pulmão e tumores cerebrais.

— Até mesmo para metástases, em quadros mais avançados, a radioterapia tem papel importante no alívio de sintomas. Pode ser aplicada em um número ultra curto de sessões ou, inclusive, em uma única dose, dependendo da situação.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.