Na folga

Alexandra Aranovich: Vibrando em Mendoza

O vinho é o melhor lugar para encontrar amigos

Por: Alexandra Aranovich
19/06/2017 - 10h52min | Atualizada em 19/06/2017 - 10h52min

Tem destinos para onde você leva as crianças. Outros que transformam você em uma. Mendoza — terra do malbec e capital do vinho na Argentina — é a Disneylândia dos adultos e amantes do vinho. Há muito tempo planejávamos ir de turma para lá. Finalmente, em abril, reunimos um grupo de cinco casais e fomos brindar os quase 20 anos de amizade e as coisas boas da vida. Fomos em busca daqueles instantes em que a gente sente a vida vibrar.

E Mendoza não decepcionou. A vida realmente pulsou intensamente, ora emoldurada com a paisagem dos vinhedos e da Cordilheira dos Andes, ora ao redor da boa mesa. E falando em vibração, é impressionante saber que Mendoza renasceu após um trágico terremoto (em 1861). Sua reconstrução transformou a cidade em uma área extremamente arborizada, cheia de praças, ruas largas, prédios baixos e projetada para sobreviver a outros terremotos. É um oásis no deserto. Toda a cidade (inclusive vinhedos) é irrigada pelo derretimento da neve das montanhas que a cercam por meio de canais (chamados de acequias) criados a partir de técnicas do antigo povo inca, um dos primeiros habitantes da região.

Por meio de indicações em sites de avaliações da internet, encontramos o guia Leonardo da Vendimia, que preparou tudo com tanto carinho que virou o Leo, nosso amigão de Mendoza. Um achado! Leo foi a nossa "Tia Iara do malbec", essencial no transporte e na organização do roteiro das vinícolas e reservas das experiências e refeições harmonizadas.

Tivemos uma manhã de enólogo na Bodega Norton, onde cada um criou o seu próprio blend e rótulo. Brindamos com o papa do malbec e expert em solos, Alejandro Vigil, enólogo da Catena Zapata e da imperdível El Enemigo. Visitamos Pulenta, Catena, Susana Balbo, Andeluna e Achaval Ferrer. Pulamos entre os vinhedos, comemos uva dos parreirais e finalizamos com um almoço incrível na pequena e aprazível bodega La Azul. No total, o roteiro teve oito vinícolas e mais de 40 rótulos de respeito degustados em toda a viagem e harmonizados com a boa companhia. Admito que tanto vinho fez não só as emoções como também a cabeça vibrarem um pouquinho em Mendoza.

Por fim, acredito naquela frase que diz que o vinho é o melhor lugar para encontrar os amigos. E o cenário pode ser Mendoza,Vale dos Vinhedos ou a churrasqueira de casa. Por isso, aí vai uma dica para quem sentiu vontade de confraternizar a amizade: de 19 de maio a 4 de junho acontecem várias atrações e eventos especiais em homenagem ao Dia do Vinho no RS. A programação completa está em diadovinho.com.br. Tim-tim.

Leia mais colunas de Alexandra Aranovich

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.