POA Em Cena

Espetáculo uruguaio encena história de uma mulher na Viena anexada pelos nazistas

"De algún tiempo a esta parte", com Gabriela Iribarren, tem sessões nesta quarta e quinta-feira no Auditório do Instituto Goethe

Por: Fábio Prikladnicki
14/09/2016 - 05h00min | Atualizada em 14/09/2016 - 05h00min
Espetáculo uruguaio encena história de uma mulher na Viena anexada pelos nazistas María Fernández Russomagno/Divulgação
Gabriela Iribarren vive Emma, uma mulher marcada por perdas Foto: María Fernández Russomagno / Divulgação

Vem do Uruguai o primeiro espetáculo internacional do 23º Porto Alegre Em Cena (o outro será o francês BiT, de Maguy Marin, nos dias 24 e 25). De algún tiempo a esta parte tem sessões nesta quarta (14/9) e quinta-feira (15/9), às 20h, no Auditório do Instituto Goethe, trazendo dois nomes de destaque da cena do país vizinho. Mariana Wainstein, nas palavras do jornal uruguaio El País, é "uma diretora que se caracteriza por montagens esmeradas e vale a pena acompanhar o que faz". Já Gabriela Iribarren é uma das atrizes mais experientes e premiadas de lá.

Porto Alegre Em Cena começa edição "de resistência"

O que ver no 23º Porto Alegre Em Cena

No palco, Gabriela vive Emma, uma mulher que mora na Viena de 1938, anexada pela Alemanha nazista. A vida dessa personagem é marcada por tragédias: seu marido foi assassinado pelos nazistas por ser judeu e seu filho foi morto na Guerra Civil espanhola. O que sobrou para Emma? Mariana, a diretora, reflete:

– Ela está só. Roubaram sua casa e o negócio de seu marido, e ela se refugia em um porão tentando entender a realidade. É uma mulher que busca forças na fraqueza. Sua força vem de sua memória e do amor. Também lhe dá força o ódio e a vontade de ver cair os nazistas.

A peça é de autoria de Max Aub (1903 – 1972), escritor que, no Brasil, permanece relativamente desconhecido do grande público, sendo cultuado nos círculos de amantes da literatura. De sua variada obra, que passa por diferentes gêneros, está publicada no país Crimes exemplares, reunião de narrativas curtas. Aub foi profundamente marcado pela experiência da migração: um espanhol nascido em Paris e morto na Cidade do México.

– Max Aub foi um escritor muito prolífico, mas esquecido em seu próprio país, a Espanha. Franco nunca o deixou regressar, morreu exilado no México – lembra Mariana. – Alguém disse que ele foi o mais exilado dos exilados. Recém agora está sendo revalorizada sua obra, que não é só dramática. Tem poesia, contos, ensaios, os melhores diários da Guerra Civil espanhola.

Para a diretora, De algún tiempo a esta parte é um espetáculo sobre a alteridade, ou seja, sobre a relação com o outro:

– A alteridade é um fenômeno muito observado por Aub em muitas de suas obras. Por exemplo, o fato de que alguém até hoje era um cidadão normal e passa a ser o outro, o inimigo. Os vizinhos que até ontem pediam uma louça emprestada a Emma agora não a deixam subir de elevador para não se misturar com ela.

DE ALGÚN TIEMPO A ESTA PARTE
Nesta quarta
(14/9) e quinta (15/9), às 20h.
Auditório do Instituto Goethe (24 de Outubro, 112), fone (51) 2118-7800, em Porto Alegre.
Ingressos: R$ 80. Desconto de 50% para sócio e acompanhante do Clube do Assinante. À venda na loja Myticket (Rua Padre Chagas, 327, loja 6), das 9h às 18h (sem taxa), no site ingressospoaemcena.com.br e no telefone (51) 3030-1500, ramal 512, das 9h às 18h (com taxa de 20% sobre o total da compra).

Outros destaques do dia no 23º Porto Alegre Em Cena

AS PALAVRAS DA CHUVA, CHUVA G E CHUVA L
Três peças apresentadas em sequência, totalizando quase três horas de duração, nas quais o Teatro da Rotina (SP) apresenta diferentes versões para um mesmo texto do dramaturgo americano Tennessee Williams sobre o amor. Desta quarta (14/9) a sexta (16/9), às 18h, no Teatro Bruno Kiefer da Casa de Cultura Mario Quintana (Andradas, 736). Ingressos: R$ 80

AGORA EU VOU FICAR BONITA
A atriz Regina Braga e o cantor Celso Sim trazem um espetáculo cênico-musical que reflete sobre o envelhecimento. O tema é explorado por meio de cenas teatrais e canções de sambistas como Nelson Cavaquinho, Candeia e Cartola sobre a passagem do tempo. Desta quarta (14/9) a sexta (16/9), às 21h, no Teatro Renascença (Erico Verissimo, 307). Ingressos: R$ 80

DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS
O espetáculo gaúcho leva para o palco a história do célebre romance de Jorge Amado publicado em 1966. É a história de Flor, uma mulher dividida entre a sensualidade do boêmio Vadinho e a segurança do conservador Teodoro. Nesta quarta (14/9) e quinta-feira (15/9), às 21h, no Teatro da Santa Casa (Independência, 75). Ingressos: R$ 30

O MAL-ENTENDIDO
A montagem dirigida por Daniel Colin resgata uma peça de Albert Camus de 1944 sobre um homem que decide rever a mãe e a irmã depois de 30 anos. Ao chegar no albergue de propriedade delas, o homem decide não revelar sua identidade. Nesta quarta (14/9) e quinta-feira (15/9), às 19h, na Sala Álvaro Moreyra (Erico Verissimo, 307). Ingressos: R$ 30

Há desconto de 50% para sócio e acompanhante do Clube do Assinante nos quatro espetáculos



 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.