Registros e memórias

Ricardo Chaves, o Kadão, lança livro com suas histórias (e imagens) no fotojornalismo

Fotógrafo lança publicação biográfica nesta quinta-feira, às 19h30min, no Átrio do Centro Histórico-Cultural da Santa Casa

13/10/2016 - 07h00min | Atualizada em 13/10/2016 - 07h01min
Ricardo Chaves, o Kadão, lança livro com suas histórias (e imagens) no fotojornalismo Anderson Astor/Divulgação
Ricardo Chaves, o Kadão Foto: Anderson Astor / Divulgação

– O que faço nu, no guarda-roupa de um quarto de motel em Araguaína, no Tocantins? – questionava-se Ricardo Chaves, o Kadão, então fotógrafo de O Estado de S. Paulo. Kadão mal respirava para não bater nas portas e evitar que elas se abrissem.

Era mais um dia de trabalho para Kadão, mais um em seus 40 e tantos anos de trajetória no fotojornalismo, nos quais acumulou histórias nas principais redações do país. Suas memórias (e imagens) estão reunidas no livro A força do tempo – Histórias de um repórter fotográfico brasileiro, que será lançado nesta quinta-feira no Centro Histórico-Cultural da Santa Casa.

Leia mais
Biografia do Nenhum de Nós será lançada na Feira do Livro
Mostra reúne trabalhos que ilustraram livros do escritor Carlos Urbim
Leandro Karnal, Thalita Rebouças e Adriana Calcanhotto são atrações da Feira do Livro de Porto Alegre

Kadão era estimulado por amigos a contar suas histórias em livro, mas resistia à ideia. Até que foi o homenageado da 7ª FestFotoPoa, em 2013. O evento planejava lançar um volume sobre ele, mas não conseguiu patrocínio. O projeto foi ressuscitado por Pedro Haase Filho, da Quati Produções Editorais, e viabilizado pelo Fumproarte.

No livro, Kadão conta suas peripécias – como a cobertura da primeira viagem do papa João Paulo II à Polônia e os retratos de Leonel Brizola em seu exílio uruguaio.

Esta fotografia registra os momentos de aflição vivenciados pelas vítimas que tentavam se salvar do incêndio das Lojas Renner, no centro de Porto Alegre, em abril de 1976. Foi publicada em reportagem da revista Veja. Foto: Ricardo Chaves / Arquivo pessoal

– Minha ideia foi não sonegar o que foi ser um fotógrafo dos anos 1970, 80 e 90. Passei por transições como a do jornal em preto e branco para o colorido e a chegada da fotografia digital – explica o autor.

No princípio, Kadão acreditava que a fotografia se limitava ao que era produzido para o jornal. Até conhecer o trabalho do francês Henri Cartier-Bresson.

– Percebi com Cartier-Bresson que o troço podia ser mais sério do que eu estava imaginando. Um livro autoral feito por um fotógrafo, com uma linguagem própria. Criou-se outra dimensão para mim – relata o retratista de 66 anos, que hoje assina a coluna Almanaque Gaúcho em Zero Hora.

Em passeata realizada em 1977, estudantes protestavam contra a ditadura militar. Foram duramente reprimidos. Na foto de Kadão, uma garota enfrenta as bombas de gás lacrimogêneo e os escudos da Brigada Militar com apenas uma bandeira do Brasil nas mãos. A foto lhe rendeu o Prêmio Abril. Foto: Ricardo Chaves / Arquivo Pessoal

Na obra, Kadão apresenta também passagens embaraçosas. Uma delas aconteceu quando trabalhava na Agência Estado.

Ele viajou para cobrir a ida do presidente Fernando Collor a Nova York. Estava à espera de Collor, mas, como ninguém aparecia, saiu para comer com dois colegas. Ao retornarem, foram alertados de que a então ministra da Economia, Zélia Cardoso de Mello, desembarcou de carruagem no local. E eles perderam a cena. A solução foi alugar outra carruagem e pedir para a ministra posar para o trio. Ela topou.

– A história é boa, mas me envergonha...

Foto: Ricardo Chaves / Arquivo pessoal

Já ficar espremido no armário em um hotel do Tocantins é uma história vitoriosa. Na ocasião, Kadão improvisou um estúdio para revelar as fotos de um protesto – a população de Araguaína estava revoltada com a escolha de Miracema como capital provisória do Estado. A imagem revelada foi para a capa do Estadão. Ossos do ofício.

A força do tempo – Histórias de um repórter fotográfico brasileiro
De Ricardo Chaves. Biografia/fotografia, Libretos,184 páginas, R$ 50.
Lançamento nesta quinta-feira, às 19h30min, no Átrio do Centro Histórico-Cultural da Santa Casa (Independência, 75), na Capital.


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.