Último episódio

Destaque da Globo, "Amor & Sexo" encerra temporada "tocando em feridas" 

Fernanda Lima avalia episódios, fala sobre temas abordados e futuro do programa 

Por: Estadão Conteúdo
12/04/2017 - 16h23min | Atualizada em 12/04/2017 - 16h26min
Destaque da Globo, "Amor & Sexo" encerra temporada "tocando em feridas"  Ney Coelho/TV Globo/Divulgação
Foto: Ney Coelho / TV Globo/Divulgação  

Durante três meses, Fernanda Lima levantou temas ligados ao atual momento brasileiro em Amor & Sexo. Nesta quinta-feira, será exibido o último episódio desta temporada do programa (RBS TV, após BBB 17), que "teve como missão aprofundar assuntos e tocar em algumas feridas", segundo a apresentadora.

No programa que será exibido nesta noite, o elenco fará uma retrospectiva dos melhores momentos. Na lista de situações apresentadas estão Rodrigo Hilbert, marido de Fernanda, de drag queen, e as múltiplas formas de nudez exibidas.

— Acho que não existe no Brasil um programa que contribua tanto para fazer as pessoas pensarem e viverem melhor. As pessoas, aos poucos, estão percebendo que a nudez é uma coisa natural — pondera a sexóloga Regina Navarro Lins, uma das integrantes fixas da atração.

Leia mais
Globo define nome e data de estreia do talk show de Pedro Bial
Tatá Werneck tem potencial para ser a grande estrela dos talk shows brasileiros 
Por que "Amor & Sexo" é o melhor programa da TV aberta atualmente

Machismo, diversidade, empoderamento feminino. O que não faltou foi assunto — e polêmicas. Todos com grande repercussão nas redes sociais.

— A gente precisou falar sobre isso ao longo das temporadas, discutindo mentalidades e comportamentos, reclamando liberdade e respeito. Combatendo opressões e injustiças, disponibilizando o espaço que temos para representar, ocupar e dar voz a todas e todos que acreditam em uma sociedade que respeita a diversidade e a igualdade de direitos de todos os humanos — resume Fernanda Lima.

Na entrevista a seguir, a gaúcha de 39 anos fala sobre a atração e a possibilidade de novas temporadas. 

Foto: Mauricio Fidalgo / Globo

A temporada passada do Amor & Sexo seria a última. Por que vocês mudaram de ideia?

O público pediu, e a gente não aguentou. Na verdade, percebemos que, mesmo que os temas se repitam, ainda tem muita coisa para falar. Posso dizer que a gente tem se aprofundado nos assuntos, sem deixar de se divertir. Se conseguir tocar o coração de uma pessoa, mudar a estrutura de uma família que seja, já é maravilhoso. Amor & Sexo é um programa que mexe com famílias inteiras.

Como é para você ver a repercussão do programa?

A cada temporada, acho que vai ser melhor, que vai ter um aprimoramento da gente como equipe. Estou muito satisfeita com esta temporada, muito feliz com o que a gente conseguiu, com as músicas costurando todo o programa e poder falar, mais uma vez, de assuntos que consideramos muito relevantes. E, por incrível que pareça, a cada ano, surgem mais temas que precisam ser debatidos.

Como é o processo de pensar a temática de cada programa?

Em junho, já estávamos pensando em tudo, no que a gente queria falar e como abordaríamos os assuntos. Durante três meses nos dedicamos à elaboração de ideias e roteiro. Fazer parte de um roteiro é um drama (risos). Somos cinco cabeças pensando parecido e vamos buscando referências, pesquisando, remoendo os temas. 

Nos meses finais, antes da gravação, faço aulas de canto, balé, reforço para a coluna e todas as preparações corporais possíveis. É quase uma preparação de atleta, para poder ensaiar as coreografias, colocar voz nas músicas etc. Aí começamos também a fechar os programas de fato, fazendo com que 50 páginas virem 20, por exemplo.

Esta temporada foi muito musical. Qual a importância da música no contexto final da atração?

A música é fundamental, dá a cara do Amor & Sexo. A gente acredita que a música costura muito bem o programa. Temos o compromisso de aliar informação e música. Além de divertido, o Amor & Sexo propôs momentos de reflexão, como ao falar sobre feminismo, machismo etc. 

Que mensagens vocês quiseram passar?

Não tem como fingir que as coisas não estão acontecendo. Não temos a intenção de fazer graça o tempo todo. Até porque a situação atual não é engraçada. Alguns temas incomodaram, mas falamos deles. O importante é pontuar as coisas com amor. Colocamos o amor na enfermaria e tentamos entender por que as pessoas têm tanto medo de se entregar. 

Estão previstas novas temporadas do programa? Quais são seus próximos projetos?

Isso só o tempo vai dizer. Há alguns projetos em vista, mas também não posso falar nada por enquanto.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.