Reforço na casamata

Bolzan prioriza Copa do Brasil e diz que opção por Renato Portaluppi não é lance político

Novo técnico desembarca pela manhã e já comandará primeiro treino à tarde, no CT Luiz Carvalho. Estreia será quarta, contra o Atlético-PR

Por: Luís Henrique Benfica
19/09/2016 - 06h09min | Atualizada em 19/09/2016 - 06h09min
Bolzan prioriza Copa do Brasil e diz que opção por Renato Portaluppi não é lance político Mauro Vieira/Agencia RBS
Foto: Mauro Vieira / Agencia RBS

Enfim confirmado ontem como novo técnico do Grêmio, embora já se soubesse disso desde sexta-feira, Renato Portaluppi assume nesta segunda-feira com a missão de ganhar a Copa do Brasil.

No domingo, depois do sétimo jogo consecutivo sem vitória, o clube abriu mão do Brasileirão, conforme palavras do seu presidente Romildo Bolzan Júnior.

Junto com Renato, chega seu auxiliar técnico Alexandre Mendes e o coordenador técnico Valdir Espinosa. Rogério Dias é mantido como preparador físico e James Freitas permanece como auxiliar. O novo vice de futebol será Adalberto Preis, que faz parte do Conselho de Administração. A entrevista de apresentação está marcada para o final da manhã, na Arena.

- Não resta dúvida de que a Copa do Brasil passou a ser a prioridade. Ainda poderemos ter a aspiração de G-4 no Brasileirão nos dedicando a Copa do Brasil. O resultado será o mesmo, com a vantagem de ter um título nacional -argumentou Bolzan.

Fica claro que a falta de uma conquista incomoda. Mesmo que ela não tenha um significado maior. Bolzan chegou a dizer, por exemplo, que o grande equívoco do ano foi não ter ganho o Gauchão. Disse que fazia o mea culpa e que pagava o preço por ter sido responsável ao não fazer gastos maiores em contratações.

Leia mais:
Bolzan anuncia retorno de Renato Portaluppi ao Grêmio: "Vai encontrar a sua casa"
James Freitas fala em perda de confiança no Grêmio: "Fase não é boa e gera ansiedade"
Cotação ZH: Marcelo Oliveira e Pedro Rocha estão entre os piores do Grêmio na derrota para o Flu

A opção por Renato é a aposta na mística de um dos maiores vencedores da história de 113 anos do clube. Bolzan lembrou que tanto o novo técnico quanto Espinosa foram vencedores dentro e fora de campo. E que, mesmo sem estar trabalhando, não se desvincularam do futebol.

- (A vinda deles) Não tem nada a ver com a questão política. É o diagnóstico do que estamos precisando - garantiu.

Bolzan evitou entrar em questões táticas e técnicas ao analisar a importância de Renato. Deixou claro que a missão inicial é a recuperação da confiança entre os jogadores. Em diálogo por telefone com o treinador, disse ter recebido dele a garantia de que já há um diagnóstico sobre os problemas surgidos nas últimas partidas.

-Ele tem capacidade de mobilização, de passar confiança e tirar dos jogadores o que não estão conseguindo ar. É por isso que o contratamos. O Grêmio tem uma cultura tática. É time treinado. Ninguém vai começar do zero - avaliou.

Apesar de reconhecer as dificuldades do time, quase todas elas geradas pela ansiedade, o auxiliar James Freitas confia em rápida recuperação. Assegura, também, que o novo técnico não encontrará um grupo de jogadores dividido.

- Eles se gostam, sempre demonstraram grande profissionalismo. Esta é a informação que passaremos a Renato - disse James.

Contra o Atlético-PR, pela Copa do Brasil, jogo que marcará sua estreia, Renato contará com todo o grupo. Isso não ocorrerá domingo, diante da Chapecoense. Para esta partida, será preciso encontrar substitutos para Edílson, Kannemann e Maicon, que cumprirão suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

O contrato de Renato é por três meses. E prevê premiações em caso de título na Copa do Brasil ou de conquista de vaga na Libertadores.  

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.