De Fora da Área

Opinião: juntos vamos vencer este mal

Confusões afastam os torcedores dos estádios de futebol

Os últimos acontecimentos de vandalismo e violência proporcionados por torcedores e integrantes de organizadas trouxeram holofotes a um problema que o Sport Club Internacional convive diariamente e enfrenta de peito aberto há tempos.

Leia mais colunas De Fora da Área
Briga de torcedores resulta em providências restritivas para o Gre-Nal
Torcedores que brigaram responderão por formação de quadrilha

O  clube mantém um controle rígido sobre as organizadas e cobra fortemente um comportamento adequado delas sob pena de exclusão. Somente em 2014, 22 associados foram excluídos por este motivo.

Não há distribuição de ingressos entre as organizadas porque o clube exige que todos sejam sócios para que integrem os quadros. Temos um cadastro atualizado de todos os integrantes de organizadas e os disponibilizamos ao Ministério Público e aos órgãos de segurança pública.

Todos os sócios que fazem parte das torcidas precisam estar em dia com o clube para ter acesso aos jogos. Quando identificado algum problema, o clube exclui o infrator imediatamente do quadro social.

Toda e qualquer briga envolvendo associados do clube é punida com a exclusão preventiva do quadro social. Quem faz atos de vandalismo nas dependências do Beira-Rio é encaminhado para a polícia. O clube ainda processa o torcedor e busca ressarcimento na esfera judicial. Porém, este sério problema evidentemente está longe de acabar por aqui.

Ser excluído do quadro social e do cadastro de organizada por vandalismo ou ficar impedido de entrar no Beira-Rio é muito pouco. A sociedade tem que avançar para uma legislação que puna muito mais severamente quem se comporta mal em estádios. Deve-se tratar este tipo de torcedor como um bandido comum e não como um torcedor. E lugar de bandido é na cadeia.

Proibição de acesso a todos os eventos esportivos não basta porque a baderna segue pelas ruas e estações de transporte público, onde seguem sendo cometidas atrocidades. Precisamos tratar eles com o rigor necessário para que não se sintam estimulados a seguir repetindo seus atos contra a lei.

O Gigante da Beira-Rio é um estádio moderno hoje graças ao trabalho árduo e ao sacrifício de todos os colorados. Queremos manter as famílias no nosso estádio e para isso estamos buscando criar um ambiente de segurança cada vez maior.

Não permitiremos que delinquentes afugentem a presença de crianças, mulheres e famílias. Estamos ao lado do Judiciário e dos órgãos de segurança pública para ajudar a combater o vandalismo e a violência. Juntos vamos vencer este mal.

* De segunda-feira a sábado, a seção De Fora da Área debate futebol e outros esportes, com novos nomes e ideias em Zero Hora.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.