Banco Central

Mercado eleva projeção da inflação para 3,33% em 2017

Nova previsão ocorre após o aumento da tributação sobre combustíveis

Por: Estadão Conteúdo
24/07/2017 - 09h34min | Atualizada em 24/07/2017 - 10h43min
Mercado eleva projeção da inflação para 3,33% em 2017 Patrick Rodrigues/Agencia RBS
Na semana passada, o governo federal assinou decreto que determinou a elevação da alíquota de PIS/Cofins sobre a gasolina, o diesel e o etanol Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS  

Após o aumento da tributação sobre combustíveis, os economistas do mercado financeiro elevaram suas projeções para o IPCA, o índice oficial de inflação, para este ano. O Relatório de Mercado Focus divulgado na manhã desta segunda-feira (24), pelo Banco Central (BC), mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,29% para 3,33%. Há um mês, estava em 3,48%. Já a projeção para o índice de 2018 seguiu em 4,2%, ante 4,3% de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas nesta segunda-feira no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3% e 6%).

Leia mais
Procon de Porto Alegre lançará ranking de preços de postos de combustíveis
Alta dos combustíveis vai custar R$ 221 milhões aos produtores rurais do RS
Empresas fazem "intensivão" para entender a reforma trabalhista

Na última quinta-feira (20), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA-15 — considerado uma espécie de prévia para a inflação oficial — teve deflação de 0,18% em julho. Foi a menor variação porcentual para o índice desde setembro de 1998 (-0,44%).

Por outro lado, o governo anunciou, também na quinta-feira, aumento da alíquota de PIS/Cofins sobre a gasolina, o diesel e o etanol. Apenas no caso da gasolina, a tributação poderá significar um aumento de R$ 0,41 para cada litro, o que gera impactos diretos e indiretos sobre os preços ao consumidor.

No Focus agora divulgado, entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 passou de 3,08% para 3,1%. Para 2018, a estimativa seguiu em 4,19%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 4,48% e 3,98%, respectivamente.

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,37% para 4,4% de uma semana para outra — há um mês, também estava em 4,37%.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para julho de 2017 foi de 0,17% para 0,15%. Um mês antes, estava em 0,18%. No caso de agosto, a previsão de inflação do Focus foi de 0,23% para 0,25%, ante o mesmo 0,25% de quatro semanas atrás.

PIB

Os economistas do mercado financeiro mantiveram a projeção para a atividade em 2017 e 2018. A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano seguiu em 0,34% no Focus. Há um mês, a perspectiva era de avanço de 0,39%.

Para 2018, o mercado manteve a previsão de alta do PIB, de 2%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,1%.

Câmbio para fim de 2017 segue em R$ 3,30

O Focus mostrou que a projeção para a cotação da moeda americana no fim de 2017 seguiu em R$ 3,30. Há um mês, estava em R$ 3,32. O câmbio médio de 2017 foi de R$ 3,24 para R$ 3,22, ante R$ 3,24 de um mês antes.

No caso de 2018, a projeção dos economistas do mercado financeiro para o câmbio no fim do ano foi de R$ 3,45 para R$ 3,43. Quatro semanas antes, a previsão estava em R$ 3,40. Já a projeção para o câmbio médio no próximo ano foi de R$ 3,39 para R$ 3,38, ante os mesmos R$ 3,38 de quatro semanas atrás.

Selic

À espera do resultado do encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), na próxima quarta-feira (26), os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica de juros) para o fim de 2017. O Focus trouxe que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 8% ao ano. Há um mês, estava em 8,5%.

O relatório indicou ainda que a mediana das projeções dos economistas para a Selic no fim de 2018 permaneceu em 8%, ante 8,5% de um mês atrás.

Preços administrados

O Relatório Focus indicou também manutenção na projeção para os preços administrados neste ano. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador em 2017 seguiu com alta de 5%. Para 2018, a mediana permaneceu em 4,70%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 5,15% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,70% em 2018.

No último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), publicado em 22 de junho, o BC projetava alta de 5,9% para os preços administrados em 2017 e avanço de 5,5% em 2018. Estas estimativas tendem a ser atualizadas no próximo relatório, que sai no dia 21 de setembro.

Leia mais notícias de Economia


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.