Violência no Vale do Sinos

Chacina em bar de São Leopoldo pode ser disputa de facções do tráfico

Vítimas foram identificadas e a maioria tem antecedentes policiais

14/01/2017 - 10h45min | Atualizada em 14/01/2017 - 11h15min
Chacina em bar de São Leopoldo pode ser disputa de facções do tráfico Divulgação/Brigada Militar
Foto: Divulgação / Brigada Militar  

A Brigada Militar e a Polícia Civil identificaram três dos quatro mortos a tiros num bar de São Leopoldo na noite de sexta-feira. As vítimas foram executadas em um bar na Vila dos Tocos, por volta das 21h40min.

Morreram José Fabiano da Rosa, de 35 anos, Gleison Kleinhans Rogério, de 21, e Paulo de Oliveira Vargas, de 34. Um quarto rapaz, que também morreu, ainda não teve a identidade confirmada.

Conforme a BM, os quatro foram mortos por um um bando de atiradores que chegou em dois carros. Os matadores estariam com rostos cobertos. Outras quatro pessoas também foram baleadas, mas sobreviveram. Elas foram atendidas no Hospital Centenário, de São Leopoldo. Os PMs que atenderam a ocorrência as identificaram como Jonas da Silva de Moraes, de 30 anos, Isaías Machado Bernardes, de 19, Sílvio Fonseca, de 29, e João Arideu dos Santos, de 53. Isaías já recebeu alta, os outros continuam hospitalizados.

A suspeita da Polícia Civil é que as vítimas tenham sido atingidas em represália, em ações de retaliação de facções do crime organizado na região.

— Pelos testemunhos colhidos e também pelos antecedentes, é provável que tenha ocorrido uma represália de uma facção criminosa. Mas ainda é cedo para conclusões, não podemos nos precipitar — pondera o delegado de Homicídios de São Leopoldo, Vinícius do Valle.

Leia mais:
Chacina deixa quatro mortos em São Leopoldo
Manoel Soares: a diferença entre mortes na periferia e nas áreas nobres
União de polícias propiciou prisão de chefe de facção no Paraguai

Dos oito baleados, seis têm passagens pela polícia, a maioria com antecedentes por tráfico de drogas.

Até por suspeitar que a chacina seja capítulo de uma guerra entre facções criminosas, a Brigada Militar faz patrulhamento no hospital, por temor de invasões.


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.