Depois do caos

Ordem e segurança "estão normalizadas" no Espírito Santo, diz ministro da Defesa 

Raul Jungmann chamou a mobilização dos policiais militares de "motim" 

Por: Zero Hora
13/02/2017 - 09h05min | Atualizada em 13/02/2017 - 09h09min
Ordem e segurança "estão normalizadas" no Espírito Santo, diz ministro da Defesa  Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil  

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, considera a situação normalizada no Espírito Santo no que diz respeito à ordem pública. Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, na manhã desta segunda-feira, Jungmann destacou que a ordem e a segurança pública estão "recuperadas", já que as escolas já estão abrindo, e o transporte público e demais serviços voltando a funcionar. Segundo ele, o Estado só não está em sua total normalidade porque uma parte da polícia militar ainda permanece em greve:

— No domingo à noite houve uma negociação, mas não sei dizer qual foi o resultado. De resto, acredito que está normalizado.

Leia mais
Um dia após convocação, Espírito Santo tem mais de 1,2 mil PMs nas ruas
PMs são retirados do quartel em helicópteros em Vitória
Planalto quer transformar repressão ao movimento da PM capixaba em exemplo nacional

Desde 4 de fevereiro, policiais militares do Espírito Santo deixaram de fazer o patrulhamento em ruas da Grande Vitória e de cidades do interior do Estado. A situação levou o Espírito Santo a viver um caos na segurança pública, que só começou a ser controlado na última semana.

Jungmann considerou a mobilização dos policiais uma "greve ilegal, um motim por parte de integrantes da polícia militar". O ministro afirmou, ainda, que as Forças Armadas interviram no Estado por uma questão constitucional, já que, quando um governo não tem condições, por suas forças locais, de manter a garantia da lei e ordem, ele solicita o apoio federal:

— A previsão inicial é de que o exército permaneça lá até o dia 16 de fevereiro, mas acredito que a situação exigirá um tempo a mais das Forças Armadas no Espírito Santo. Isso ainda será definido.

Questionado sobre a crise na segurança de outros Estados, o ministro afirmou que a situação mais preocupante, no momento, é a do Rio de Janeiro.

— Lá é onde existe um movimento similar ao do Espírito Santo, e por isso estamos acompanhando a situação no que diz respeito à lei e ordem. Até o momento o governo tem o controle da situação, mas estamos em prontidão — concluiu. 

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.