Violência na Capital

Criminosos furtam centro social e deixam 500 famílias sem assistência na Vila Safira, em Porto Alegre

Centro Social Santa Isabel foi alvo de furto na madrugada desta segunda-feira (24). Bandidos levaram alimentação, computadores e até o carro da instituição que atua há 20 anos na comunidade

24/07/2017 - 14h13min | Atualizada em 24/07/2017 - 14h35min
Criminosos furtam centro social e deixam 500 famílias sem assistência na Vila Safira, em Porto Alegre Eduardo Torres/Diário Gaúcho
Criminosos invadiram salas e o depósito de alimentos da entidade que atua há 20 anos na Vila Safira Foto: Eduardo Torres / Diário Gaúcho  

As cozinheiras do Centro Social Marista Santa Isabel, na Vila Safira, bairro Mario Quintana, em Porto Alegre, levaram um susto quando chegaram à instituição por volta das 6h30min desta segunda-feira (24). Os portões estavam escancarados. As geladeiras, o depósito de alimentos e algumas salas estavam vazias. Até mesmo o carro da entidade, uma SpaceFox adesivada, foi levada pelos criminosos. E o detalhe: nenhum portão ou cadeado foi arrombado.

A consequência direta do crime foi sentida menos de uma hora depois, quando as primeiras das 360 crianças atendidas diretamente pela entidade no turno inverso da escola chegavam.

— Tivemos de suspender o atendimento hoje (segunda) e provavelmente amanhã (terça) também. Justamente em uma segunda-feira, que é sempre o dia mais importante para as crianças. Algumas delas sequer têm alimentos em casa. Aqui é o único lugar onde conseguem uma refeição, e nesse período de férias escolares essa situação se agrava — lamenta a coordenadora pedagógica da entidade, Carla de Oliveira da Silveira.

Leia mais
Assassinato de três pessoas em Guaíba pode ter sido ação do tráfico de drogas
Guerra do tráfico fecha definitivamente posto de saúde em Porto Alegre

Além das crianças e adolescentes atendidos pelos programas de convivência, oficinas e o reforço escolar, o centro social é também uma referência às famílias pobres da Vila Safira na busca de benefícios sociais. Ao todo, são 500 famílias atendidas ali. Nas terças, por exemplo, a entidade costuma distribuir arroz na comunidade. Nesta semana, isso não acontecerá. Os bandidos furtaram dois fardos de arroz.

Levaram ainda 15 fardos de leite, sucos, chás, bolachas, farinha, açúcar, óleo, frios, um botijão de gás, dois CPUs, um monitor e um projetor. Tudo teria sido carregado no próprio carro do centro social. Vizinhos relataram terem ouvido barulho por volta das 5h30min. Ninguém teve coragem de intervir.

— O que mais lamentamos é ter de parar um serviço que é para o benefício da própria comunidade. Há 20 anos que atuamos para o bem dessas famílias e ainda assim fomos alvo da criminalidade. A comunidade precisa se mobilizar contra isso — diz o coordenador da entidade, Leomar Silvestro.

Bandidos não arrombaram nenhum dos portões e cadeados Foto: Eduardo Torres / Diário Gaúcho

Sem arrombamentos

Os dois prédios do Centro Social Santa Isabel são cercados por grades. Há também um alarme. Mas não serviram de nada. Ao que tudo indica, os criminosos tinham as chaves. O caso foi registrado na 18ª Delegacia de Polícia e se somará a pelo menos outros dois semelhantes.

Na madrugada de sábado, bandidos furtaram alimentos e dinheiro de uma igreja próxima que preparava um galeto beneficente no final de semana. Antes, materiais foram levados do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do bairro. Nos dois ataques, também não houve arrombamentos.

— E agora, como vamos fechar as coisas à noite? E se voltarem aqui de novo? — lamenta a coordenadora pedagógica.

AJUDE:
O Centro Social Marista Santa Isabel (Rua Moçambique, 420), contatos pelo (51) 33860064. Entre as necessidades para retomar os serviços, a principal é de leite.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.